Foto: Reprodução/Instagram

As fotos da modelo russa Veronica Rocheva, 23, supostamente tiradas em Chernobyl, circularam o mundo e geraram fortes críticas. Entretanto, após ter viralizado, a jovem admitiu que tudo não passou de uma farsa.

Apesar de ter divulgado que as fotos foram feitas em Pripyat, na área de exclusão criada após a explosão na usina nuclear em 1986, os cliques foram tirados a 3.5 mil quilômetros da área do desastre: em Novosibirsk, na Sibéria.

Foto: Reprodução/Instagram

Ao tablóide The Sun, Verinika confessou que só queria ganhar likes e seguidores com a farça. “O local se parecia com Pripyat e nós simplesmente o tagueamos como Pripyat”, disse.

Para encerrar a polêmica, a modelo, que é natural de Novosibirsk, disse “respeitar muito a história de Chernobyl”.

Em 26 de abril de 1986, um acidente na usina nuclear de Chernobyl, na extinta União Soviética, liberou 400 vezes mais radiação do que a explosão da bomba atômica sobre Hiroshima(Japão), em 1945. Uma zona de exclusão foi criada na região: 350 mil pessoas foram retiradas e começou o trabalho de descontaminação. A população nunca retornou, e séries restrições à presença dela permanecem.

Fonte: Correio