Entre os perfumes importados, óculos e bebidas, agora os turistas e baianos que passarem pelo aeroporto de Salvador poderão encontrar também azeite de dendê, café, cangas de praia, e até farofas. Os produtos regionais se misturam aos importados, que já são figuras fáceis nos aeroportos, na nova loja, DFA Shop, inaugurada nesta quarta-feira (03), no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães.

Os 845 m², divididos em dois andares na área de embarque doméstico do aeroporto, dão para a loja um ar de shopping center. Agora, no entanto, os compradores não vão se sentir nas famosas lojas duty free presentes nos terminais. Essa é a intenção do novo empreendimento inaugurado pela empresa Duty Free Americas (DFA) e a Vinci Airports, concessionária que administra o aeroporto. “É um novo conceito, a loja não tem a cara de outras lojas do país, é única, criada para Salvador para que não seja apenas uma transação comercial, mas uma experiência para o passageiro”, espera Marc Gordien, diretor comercial do Salvador Bahia Airport.

A loja, que abriu as portas aos passageiros com o coquetel na tarde desta segunda (3), é do tipo Duty Paid. Diferente das famosas Duty Free, onde os artigos importados têm isenção ou redução nos impostos, nessas lojas, os mesmos produtos estão disponíveis, porém sem a redução de valores. O que diferencia a unidade baiana, além dos produtos regionais, é sua arquitetura. “A intenção era oferecer algo completamente diferente das lojas duty paid que existem no Brasil. Tem muitos produtos que encontramos nas outras lojas, mas o ambiente, a música, o colorido dão um sentimento muito baiano”, explica o presidente da DFA no Brasil, Carlos Rabat. 

Passageiros passeiam em loja recém inaugrada (Foto: Betto Jr/CORREIO)

Na decoração, renda, sisal, madeira e vegetação que buscam dar um ar baiano ao empreendimento. Construída no conceito walkthrought, a loja será passagem obrigatória para quem embarcar pela área doméstica do aeroporto. Com a unidade baiana, é a primeira vez que a DFA, que opera 15 lojas pelo país, regionaliza sua estrutura e produtos. “Salvador e a Bahia são muito ricos em cultura e muito bonitos. Gostaríamos de dar uma experiência agradável para os passageiros e, aqui, colocamos mais a Bahia e a cultura de Salvador do que nas outras lojas no mundo”, diz Simon Falic presidente da DFA, 

O conceito de trazer a cara de cada lugar, executada em Salvador, vai acabar transformando a loja baiana em referencial. “A ideia é que esse modelo que começou aqui é o que vamos seguir em outros aeroportos pelo Brasil, porque temos um modelo muito diferente e muito bom, que está no nível de muitos aeroportos internacionais. Essa é uma loja para o mundo”, completa Robat.

Receptividade 

Apesar de não encontrarem os preços com descontos que geralmente atraem compradores nos terminais, a loja com a cara da Bahia chamou atenção de quem estava viajando nesta terça. É o caso do professor universitário João Henrique Perrotta, 38, que estava voltando para Curitiba, onde mora. “Muito bom ter esses produtos aqui. A Bahia é tão rica em música, comida, na sua história, que ter isso logo no aeroporto acaba até desmistificando a ideia de que a Bahia é só axé e Carnaval. Mostra que é muito mais”, opina. 

Produtos regionais fazem sucesso com os turistas (Foto: Betto Jr/CORREIO)

Já o estudante Diogo Moraes, 16, natural do interior de São Paulo, estava voltando para casa encantado com a cidade. “É um calor, uma energia contagiante. Levar esses produtos para casa é como ter um pedaço de cada cidade com você”, disse o jovem que junto com o chocolate importado levou para casa uma farofa tipicamente baiana. 

A farofa que foi com o estudante para São Paulo é criação da chef de cozinha Tereza Paim, uma das responsáveis pela área regional da loja, que imita uma feira livre e concentra os produtos tipicamente baianos.  Para Tereza, a presença no aeroporto é uma alegria. “É uma responsabilidade muito grande, o objetivo do meu trabalho é representar a Bahia, e o aeroporto é a porta de entrada e de saída de gente que é daqui e que não é. Então, poder representar minha cidade e meu país aqui no aeroporto, é um desafio pelo qual vou trabalhar muito”, declara a chef, que também prepara a inauguração de uma filial de seu restaurante dentro do terminal em Salvador. “É um reconhecimento de que o artesanal e regional é também importante”, completa.

Modernização 
A inauguração da nova loja faz parte de um pacote de ações realizadas pela Vanci, administradora do terminal, para modernizar o aeroporto. Hoje exclusivo para passageiros domésticos, a previsão é que o espaço seja um local de passagem para todos os passageiros, já que a previsão é que, nos próximos meses, os embarques nacionais e internacionais sejam unificados no mesmo portão com a abertura de um novo píer com novas pistas de decolagem.

“A ideia é ter uma área onde a gente possa ter várias facilidades e comodidades para o passageiro. Onde ele possa aguardar o voo tranquilo, com serviços, alimentação, e que funcione 24 horas, já que os voos internacionais estão concentrados no período noturno”, explica Gil Guimarães, gerente de engenharia do aeroporto.

*Com supervisão da chefe de reportagem Perla Ribeiro 

Fonte: Correio