Ao fundo, o Campo do Poste, local onde os corpos foram encontrados (Foto: Eduardo Dias/CORREIO)

Dois homens foram assassinados na Rua 20 de agosto, na noite dessa quarta-feira (10). O duplo homicídio ocorreu por volta das 21h30 e as vítimas, Jonatas Santana da Cruz Santos, 23 anos, e Jackson do Sacramento Macedo, 28, foram encontrados amarrados, com marcas de tiros no corpo próximo ao Campo do Poste, na divisa entre os bairros do Lobato e Campinas de Pirajá, em Salvador.

Segundo moradores ouvidos pelo CORREIO, no local existe uma disputa pelo comando do tráfico de drogas. Jonatas era conhecido no bairro pelo apelido de Sariguê e, à polícia, seus familiares informaram que ele já havia sido preso por tráfico.

“Esse campo onde eles foram assassinados é muito comum acontecer isso. Lá é o ponto principal de disputa pelo tráfico, tem saída para todo lugar”, comentou um morador. 

“Antes não existia essas coisas aqui, não faz muito tempo. Nós moradores ficamos acuados, com medo de represália. Não podemos falar nada. É uma guerra que parece não ter fim. Cada vez é um líder diferente. Eles se matam entre eles mesmos”, completou.

Ao CORREIO, um mototaxista, que preferiu manter sua identidade em sigilo, disse que uma das vítimas trabalhava como vendedor de gás no bairro. Para ele, o motivo das mortes seria o fato das duas vítimas praticarem assaltos no bairro.

“Eles estavam roubando os moradores. Um vendia gás, o outro não fazia nada, mas estavam roubando juntos. Eles já estavam avisados, todo mundo já sabia que isso iria acontecer, mais cedo ou mais tarde. Eles vacilaram e os caras mataram”, comentou o morador.

Em nota, a Polícia Militar informou que uma equipe da 9ª Companhia Independente da PM (CIPM/Pirajá) foi acionada para atender uma denúncia de duplo homicídio na localidade, por volta das 21h30.

Quando chegaram ao local, os policiais isolaram a área e acionaram o Serviço de Investigação em Local de Crime (Silc) para remoção dos corpos e realização de perícia.

A 3ª Delegacia de Homicídios (DH/Baía de Todos os Santos) do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga as mortes. Segundo a polícia, a autoria e motivação do crime ainda são apuradas.

*Com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier.

Fonte: Correio