O prefeito ACM Neto, acompanhado da titular da Secretaria de Políticas para Mulheres, Infância e Juventude (SPMJ), Rogéria Santos, lança, nesta segunda-feira (15), o projeto piloto do programa Marias na Construção, que ofertará cursos gratuitos de construção civil para população feminina da capital baiana. O evento ocorrerá às 9h, no Campo da Pronaica, em Cajazeiras X.

Coordenada pela SPMJ, o Marias na Construção faz parte do eixo capacitação e empregabilidade do órgão. A iniciativa conta com as parcerias do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), que ofertará a qualificação profissional, e da Defesa Civil de Salvador (Codesal), que trará informações técnicas acerca de construções seguras no município.

Além disso, a ação também terá apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que oferecerá conhecimento sobre empreendedorismo, acesso à crédito, e da Secretaria de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), que garantirá a inserção no mercado de trabalho para as alunas que mais se destacarem durante o curso.

O nome do programa homenageia a primeira mestre de obras da Bahia, Maria do Amparo Xavier, que também estará presente no lançamento.

A secretária nacional de Políticas para Mulheres, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), Cristiane Britto, que é baiana e assumiu o cargo há um mês, estará em Salvador para participar do lançamento do programa. “A Bahia está entre os estados com os maiores índices de violência contra a mulher no Brasil, e o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos precisa conhecer de perto essa realidade, além de fortalecer o diálogo em prol das mulheres. Projetos como esse são importantes, pois ao oferecerem condições de empregabilidade, reduzem as chances de permanência das mulheres no ciclo da violência”, afirmou a secretária.

De acordo com o Atlas da Violência, a Bahia apresentou um crescimento de 84,2% na taxa de homicídios de mulheres, no período de 2007 a 2017. Oferecido pelo MMFDH, o Ligue 180 (Central de Atendimento à Mulher) registrou 3.141 denúncias de violência contra a mulher no estado, apenas no primeiro semestre deste ano.

Fonte: Correio