Eleito Melhor Espetáculo de 2018 pela APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), Pi-Panorâmica Insana chega a Salvador para uma dupla apresentação no Teatro Castro Alves. 

O nome curioso e provocativo é uma referência ao número irracional “pi”, formado por uma sequência infinita de dígitos. “Pi” pode ser lido também simplesmente como  sigla de Panorâmica Insana. “O espetáculo é pensado como se fosse um voo sobre a Terra, é a humanidade do pontos de vista das estatísticas. Em algum momento, a gente entra no indivíduo e fala com profundidade”, explica a diretora Bia Lessa, para quem a peça promove um  diálogo veemente sobre  questões desse mundo insano, capaz de barbaridades muitas.

Crise migratória, intolerância religiosa, notícias falsas, terrorismo, corrupção e desigualdade social são alguns dos temas que permeiam a montagem estrelada por Cláudia Abreu, Leandra Leal, Luiz Henrique Nogueira e Rodrigo Pandolfo. No palco, os quatro atores dão vida a 150 personagens de diferentes nacionalidades.

“Vivemos um momento caótico, trágico, mas a vida continua tendo alegrias, beleza e passagens engraçadas. Acho que as pessoas também se reconhecem, identificam alguém próximo, um vizinho, um familiar”, explica Leandra Leal sobre a peça. 
Para Cláudia Abreu, uma oportunidade para que todos repensem certezas absolutas.“Poder fazer isso através do riso ou de algo tocante. É muito bom quando as pessoas destampam, gritam, se posicionam. Teatro vivo total!”, comemora.

Serviço: Sábado (20), às 21h, e domingo (19), às 19h. sala principal do tca (campo grande). Ingressos R$ 140 | R$ 70 (filas A a P); R$ 120 | R$ 60 (filas Q a W; R$ 80 |R$ 40 (filas X a Z4); R$ 50 | R$ 25 (filas Z5 a Z11)  – Clube Correio: 40% de desconto sobre a inteira. Classificação 16 anos. 

Fonte: Correio