A ventania que atingiu o Rio ao longo desta terça-feira (13) derrubou árvores, causou estragos e assustou turistas. Quem estava visitando o monumento do Cristo Redentor à tarde se incomodou com a força do vento e teve problemas para sair de lá, porque tanto a estrada como a linha férrea foram interditadas por árvores que caíram.

O vento chegou a 81 km/h, registrado no Forte de Copacabana, na zona sul, às 13h, segundo o Centro de Operações Rio, órgão da prefeitura.

A partir dessa hora e ao longo da tarde, a concessionária responsável pela Ponte Rio-Niterói organizou comboios nos dois sentidos para os carros circularem com mais segurança. A medida é comum em dias de vento forte, segundo a Ecoponte. Ainda assim, a situação assustou quem trafegava pelo local. Houve várias postagens a respeito nas redes sociais.

No Cristo Redentor, por volta das 14h40, a ventania causou a queda de uma placa de cerca de um metro que estava fixada na base do monumento. Ninguém se machucou. Os problemas haviam começado antes: às 14h, uma árvore caiu na Estrada das Paineiras, por onde as vans chegam ao Cristo. A circulação delas foi interrompida, e minutos depois outra árvore caiu sobre os trilhos e interrompeu também a circulação do trem, o outro meio de transporte até o monumento.

A Estrada das Paineiras foi parcialmente liberada e as pessoas puderam descer do Cristo usando as vans. Mais tarde a circulação do trem foi liberada, mas por conta da ventania o acesso ao monumento permaneceu restrito. Nesta quarta-feira, 14, o serviço deve voltar a funcionar normalmente.

O vento forte causou também a queda de pelo menos sete árvores, em bairros do centro e das zonas norte e sul da cidade. Não houve registro de feridos.

Frente fria

Uma passagem de uma frente fria deixa o tempo instável e há previsão de chuva a partir da tarde desta terça-feira (13). A máxima do dia é de 33ºC e mínima é 18ºC.

A Marinha emitiu um alerta de ressaca para o litoral fluminense entre as 21h desta terça-feira (13) e as 9h desta quinta-feira (15). Ondas podem chegar até 3 metros de altura em alto mar.

Fonte: Correio