Que tipo de cenário você imagina quando pensa em um estudante prestes a fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)? Provavelmente, o que vem na sua mente é aquela cena clichê de um jovem sentado em uma escrivaninha, rodeado de uma pilha de livros, lutando contra o sono e com semblante de preocupação. Tudo bem, essa é mesmo a realidade de muitos deles, mas é possível aprender de forma mais leve. Para ajudar nesse missão, o CORREIO separou filmes indispensáveis para quem vai fazer a prova.

Que tal dividir um pouco os livros, o quadro negro com anotações e o caderno cheio de lembretes por uma televisão, um sofá e um bom balde de pipoca? Sim, assistir a alguns filmes pode ajudar – e muito – a melhorar seu desempenho no Enem. Isso porque, além de relaxar o aluno em um momento de tanta tensão, pode ajudar a fixar melhor o conteúdo.

Clique aqui e veja a página especial do Revisão Enem 2019

A professora de História Tânia Lima é adepta do uso de filmes como ferramenta de estudo. “Os filmes desenvolvem no aluno competências e habilidades como, por exemplo, a interpretação. Os livros são essenciais, a leitura é fundamental, mas filmes e tirinhas também são instrumento de estudo”, opina ela, que faz algumas ressalvas para os alunos que querem aprender de forma mais dinâmica.

“Filmes são ótimos, mas deve vir acompanhado de uma indicação, porque muitas vezes o aluno assiste, mas não consegue captar a mensagem, a essência da obra. Ele pode até gostar, mas precisa entender a ligação com o conteúdo. O ideal é ver e, depois, debater com algum professor”, indica.

Tânia costuma passar e indicar filmes para seus alunos
(Foto: Marina Silva/CORREIO) 

O método também é utilizado pelo professor de História Miguel Dratovsky, que acredita que, assim como o conteúdo ensinado na sala de aula e os materiais didáticos, os filmes também são importantes para aumentar o nível de conhecimento dos alunos. “É uma coisa que pode ajudar muito, porque existem muitos filmes que são baseados em fatos históricos, que ajudam na compreensão do fato, então ajuda também na fixação do conteúdo”, opina.

Mas não é só em História que os filmes podem fazer uma boa diferença na hora de aprender. O CORREIO também conversou com Cadu Oliveira, professor de Geografia, que listou algumas obras que podem ajudar aos alunos que se preparam para o Enem.

“Esses filmes que separei para indicar são muito importantes para toda essa temática prevista na grade do Enem. São filmes baseados em fatos reais, então eles trazem o que aconteceu com muita clareza”. E o melhor: como são assuntos conhecidos, dá para os alunos conversarem entre si sem temer o famoso – e irritante – spoiler (ou seja, contar o que aconteceu antes da pessoa assistir).

Profissionais e alunos aprovam método
Os professores estão cobertos de razão em dinamizar o conteúdo. Segundo Itana Suzart, orientadora educacional do Ensino Médio no Colégio Salesiano. Para ela, trabalhar com mais leveza nesse momento de alto estresse é de suma importância para o aluno.

“Cursar um 3º ano, às vésperas do Enem, envolve muitos sentimentos, emoções. Tem questões como escolha profissional, término da escolaridade, insegurança do amanhã, além de ser um ano com uma rotina de muito conteúdo. Então, usar uma ferramenta como filme pode fazer muita diferença. Muitos livros trazem alta complexidade, até por usarem um vocabulário muito distante do usado por eles”.

Na escola onde ela trabalha, por exemplo, uma das indicações de leitura é a obra Capitães da Areia, de Jorge Amado. Para ajudar no processo de compreensão, a instituição também faz uma tarde de cinema com os estudantes. “A gente passa o filme para eles, com direito a pipoca e tudo. Depois, convidamos os atores para que possam debater com eles. Eles acabam aprendendo muito mais e acaba sendo algo muito mais prazeroso também”, completa.

Aluna de Tânia Lima no Colégio Sartre, a estudante Bruna Rocha, 18 anos, garante que esse cuidado com os estudantes faz muita diferença.

“Por ser algo lúdico, divertido, você acaba compreendendo o assunto de forma mais clara, fácil e didática. É bom sair um pouco daquela rotina pesada de estudo, ajuda a relaxar. Além disso, com o filme a gente também fixa muito mais o conteúdo”.

Bruna não abre mão de ver filmes na hora de estudar
(Foto: Marina Silva/CORREIO)

Apaixonado por filmes, o estudante Rui Vieira, 17, concorda. Ele, que estuda no Colégio Vitória-Régia e quer cursar Ciências da Computação, acrescenta ainda que o uso de filmes pode ser útil inclusive em outras disciplinas.

“Acho importante o uso de filmes. Primeiro porque ser uma forma de cultura, e também porque eu vejo como algo muito mais próximo do adolescente do que livros antigos, embora não precise deixar os livros de lado. O filme é uma coisa acessível, que nos traz muitas referências, e que não é apenas entretenimento, mas conhecimento também. E não precisa ser filme intelectual, porque até em história de super-herói dá para fazer links, ver como o governo pensa, como organizações são formadas”, analisa.

Rui usa filmes para assimilar melhor os conteúdos
(Foto: Acervo pessoal)

Colega de Rui, Guilherme Ribas, 17, vai além. Para ele, quanto mais filmes assistidos, maior a chance de se dar bem na redação do Enem. “Os filmes mostram uma cultura diferente do comum. Eu uso nas disciplinas de História, Literatura e até na Redação. Na hora de escrever, por exemplo, eu faço muitas citações de filmes e até seriados, como Black Mirror. Isso ajuda a aumentar a nota, a argumentar, desenvolver o raciocínio”, completa. 

 
Guilherme sonha em cursar Ciências da Computação
(Foto: Acervo pessoal)

Este ano, o Enem será realizado em dois domingos: dia 3 de novembro (Redação; Linguagens e Códigos; e Ciências Humanas) e no dia 10 de novembro (Linguagens e Códigos e Ciências Humanas). Ao todo, 395.438 baianos se inscreveram para o exame – é o terceiro estado com mais candidatos, atrás apenas de Minas Gerais e São Paulo. 

Indicação de filmes
Sem mais delongas, porque adolescente já tem a rotina corrida, vamos aos filmes que podem ajudar na hora de fazer a prova do Enem. Os três professores que conversaram com o CORREIO elaboraram uma lista que promete ajudar na compreensão de assuntos cobrados na prova. Confira:

Os filmes indicados por Tânia Lima:

1 – As Sufragistas (Youtube)
“Esse filme trata sobre o papel da mulher no trabalho das indústrias no Século 19, como se dá o processo de organização sindical, é muito bom. As mulheres têm um papel extremamente importante nessa organização, então acaba trazendo também uma reflexão sobre nossa atualidade”, explica.

O filme narra o início da luta do movimento feminista e os métodos incomuns de batalha, trazendo a história das mulheres que enfrentaram seus limites na luta por igualdade e pelo direito de voto. Na obra, elas resistem à opressão de forma passiva, mas, a partir do momento em que começaram a sofrer uma crescente agressão da polícia, decidiram se rebelar publicamente.

2 – O Discurso do Rei (Youtube)
A dica da professora é esse filme que, segundo ela, trata da sucessão do trono inglês. “Ele é ótimo e ajuda a compreender a questão das monarquias, da sucessão, da hereditariedade dos tronos. Mostra como, muitas vezes, o sucessor não tem escolhas”.

A obra mostra a história do Príncipe Albert, da Inglaterra, que deve ascender ao trono como Rei George VI, mas ele tem um problema de fala. Sabendo que o país precisa que seu marido seja capaz de se comunicar perfeitamente, Elizabeth contrata Lionel Logue, um ator australiano e fonoaudiólogo, para ajudar o Príncipe a superar a gagueira. A partir daí, nasce uma amizade entre os dois homens, e Logue usa meios não convencionais para ensinar o monarca a falar com mais segurança.

3 – Elizabeth (Netflix)
É um dos favoritos da professora Tânia porque, segundo ela, é uma obra completa. “Ele é um filme de 1998, mas é muito bom e atual. Trata do início da Idade Moderna, da formação do Estado Nacional, das monarquias absolutistas, Reforma e Contrarreforma, além de abordar o poder da igreja católica. É um dos mais completos filmes do início da Idade Moderna”, conta.

Na trama, Elizabeth Tudor torna-se a rainha de uma Inglaterra dividida e perigosa em 1558. Vista como fraca e bastante ameaçada, ela é aconselhada a se casar com o advogado William Cecil, mas ela avisa que só aceita casar com alguém do seu país. Inteligente e cautelosa, ela deve escolher onde colocar a sua confiança: seu secretário Walsingham, um mestre da espionagem, ou seu amante secreto, Sir Robert Dudley.

4 – O Que é Isso Companheiro? (Youtube)
Esse filme, segundo Tânia, “trata da questão dos movimentos guerrilheiros durante a ditadura militar no Brasil. “É muito forte, mas muito bom”.

Filme brasileiro que se passa em 1968, a obra aborda a decretação do Ato Institucional número cinco, que impõe a censura sobre a imprensa e suspende uma série de direitos civis, o que faz com que vários jovens optem pela luta armada para enfrentar o regime militar. Alguns deles decidem sequestrar o embaixador norte-americano Charles Elbrick para negociar com o governo a libertação de militantes presos. O sequestrado acaba desenvolvendo uma estreita ligação com seus captores.

5 – Os Últimos Rebeldes (Telecine Play)
“É um filme de 1993, que trata da intolerância. Ele se passa na Alemanha nazista, mas eu gosto de focar na intolerância que é abordada. A trama tem garotos jovens que gostam de música americana, e essa música é proibida porque é muito dançante, tem letras livres. Essa liberdade não é permitida em nenhum tipo de regime totalitário, seja de direita ou de esquerda, ou qualquer período histórico”, explica Tânia.

Na trama, os nazistas ameaçam a amizade de três jovens (Robert Sean Leonard, Christian Bale, Frank Whaley) que dividem um amor profundo pelo jazz americano.

***

Os filmes indicados por Miguel Dratovsky:  

1 – Os Miseráveis (Youtube)
Segundo o professor, o filme é uma boa alternativa para aprender sobre a Revolução Francesa de 1848, tema que sempre é abordado no exame. A obra se passa no país europeu, no século 19, e mostra o ex-prisioneiro Jean Valjean ser perseguido ao longo de décadas pelo truculento policial Javert por ter violado sua liberdade condicional, buscar redenção pelo seu passado e por acolher a filha da prostituta Fantine.

2- Tróia (Youtube)
O filme promete ajudar o estudante a entender o que foi a Guerra de Tróia. A obra conta a história da batalha entre os reinos antigos de Troia e Esparta. Durante uma visita ao rei de Esparta, Menelau, o príncipe troiano Paris se apaixona pela esposa do rei, Helena, e a leva de volta para Troia. O irmão de Menelau, o rei Agamenon, que já havia derrotado todos os exércitos na Grécia, encontra o pretexto que faltava para declarar guerra contra Troia, o único reino que o impede de controlar o Mar Egeu.

3- Pearl Harbor (Netflix)
“Esse é um ótimo filme, que ajuda a entender com muito mais clareza o ataque japonês e o início dos Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial”, diz o professor. A obra conta a história de dois pilotos e antigos amigos que se apaixonam pela mesma mulher. Eles se desentendem, mas precisam deixar suas diferenças de lado quando os japoneses atacam a base naval de Pearl Harbor em 7 de dezembro de 1941.

4- Até o Último Homem (Netflix ou Youtube)
A obra, segundo conta o professor, fala sobre a invasão dos japoneses a Pearl Harbor em dezembro de 1941. A trama conta a história de Desmond T. Doss, um médico do exército americano que, durante a Segunda Guerra Mundial, se recusa a pegar em armas. Durante a Batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva cerca de 75 homens.

5- Invencível (Youtube)
Ainda na mesma temática da concentração japonesa, o filme é um drama biográfico estadunidense, produzido e realizado por Angelina Jolie, e baseado no livro de não-ficção, Unbroken: A World War II Story of Survival, Resilience, and Redemption, de Laura Hillenbrand. A história narra a vida do atleta olímpico americano Louis “Louie” Zamperini, retratado pelo ator Jack O’Connell, que sobreviveu numa balsa por 47 dias depois de um desastre aéreo durante a Segunda Guerra Mundial, apenas para ser apanhado pela marinha de guerra japonesa e enviado para uma série de campos de prisioneiros de guerra.

***

Os filmes indicados por Cadu Oliveira:

1- Hotel Ruanda (Cineteka ou iTunes, apenas em inglês)
“É um filme muito bom, que aborda os étnicos na África. A diversidade acaba sendo um dos fatores responsáveis pelo desencadeamento de vários conflitos armados, há dessas guerras em consequências dos processos de colonização e descolonização, por exemplo”.

No filme, durante os conflitos políticos entre hutus e tutsis que mataram quase um milhão de ruandenses em 1994, Paul Rusesabagina, gerente do Hotel des Milles Collines, na capital do país, toma a decisão corajosa de abrigar sozinho mais de 1.200 refugiados.

2 – Adeus Lenin (Replay Filmes)
Esse é um dos filmes indispensáveis para o professor de Geografia. “Ele fala sobre a queda do Muro de Berlim, também aborda a Guerra Fria, então é bem interessante”, pontua. Na trama, uma comunista ferrenha enfarta e entra em coma ao ver o filho em protesto contra o regime. Quando ela acorda, um ano depois, ela descobre que o Muro de Berlim foi derrubado, mas seu filho luta para fingir que nada mudou, temendo que o choque das notícias levem sua mãe à morte.

3  Capitão Phillips (Youtube)
A obra, segundo relata o professor, fala sobre os piratas da Somália. “Aborda conflitos na África, coisas inclusive que acontecem atualmente. Vale lembrar que o Enem cobra atualidade”. 

O filme conta a verdadeira história do capitão Richard Phillips e o sequestro do MV Maersk Alabama em 2009 por piratas somalis, o primeiro navio de carga norte-americano a ser sequestrado em duzentos anos.

4- Olga (Youtube)
O filme conta a trajetória de Olga Benário no contexto da Era Vargas, da formação do PCB e da Segunda Guerra Mundial. Narra a verdadeira história da militante alemã que se apaixonou pelo líder comunista brasileiro Luís Carlos Prestes. “É um filme importante, porque fala do nazismo e da relação com o Brasil”, explica o professor.

5- Nascido em 4 de julho (Youtube)
O longa-metragem conta a história de um jovem soldado americano que se tornou paraplégico por conta de um ferimento durante a Guerra do Vietnã. Mostra a luta do personagem contra os preconceitos em relação aos portadores de necessidades especiais e seu engajamento no movimento pacifista. “Fala muito sobre a questão da intervenção militar nos Estados Unidos e no sudeste da Ásia”, explica Cadu. 

6 – A Lista de Schindler (Youtube e Netflix)
“É um ótimo filme sobre a Alemanha nazista, que aborda a Segunda Guerra Mundial”, diz Cadu. No filme, o alemão Oskar Schindler viu na mão de obra judia uma solução barata e viável para lucrar com negócios durante a guerra. Com sua forte influência dentro do partido nazista, consegue as autorizações para abrir uma fábrica. Na história, este alemão abdica de toda sua fortuna para salvar a vida de mais de mil judeus em plena luta contra o extermínio alemão.

7- Gandhi (Youtube)
A trama aborda os acontecimentos mais importantes da vida de Mohandas Gandhi, líder indiano que enfrentou o domínio britânico sobre seu país. Adepto do conceito de resistência não-violenta, ele é inicialmente rejeitado por autoridades inglesas, incluindo o influente Lorde Irwin, mas suas causas acabam se tornando reconhecidas internacionalmente e seus protestos levam a Índia a conquistar sua independência.

8- Central do Brasil (Locadoras) 
“Essa obra pode ajudar a compreender a questão migratória, fala da dificuldade dos nordestinos que migram para migram para São Paulo e Rio de Janeiro, além de retratar bem a realidade do país. É uma obra muito boa, completa”, explica Cadu.

Filme brasileiro, Central do Brasil é de 1998. Estrelado por Fernanda Montenegro e Vinícius de Oliveira, narra a vida de uma ex-professora que ganha a vida escrevendo cartas para pessoas analfabetas, que ditam o que querem contar às suas famílias. Ela embolsa o dinheiro sem sequer postar as cartas. Só que, um dia, Josué, o filho de 9 anos de uma de suas clientes, acaba sozinho quando a mãe é morta em um acidente de ônibus. Ela reluta em cuidar do menino, mas se junta a ele em uma viagem pelo interior do Nordeste em busca do pai do garoto.

Como assistir a estes filmes?
Não é novidade que as famosas locadoras de filmes são cada vez menos comuns. Em Salvador, uma das poucas sobreviventes neste mercado é a Home Vídeo, locadora no Jardim Apipema, em Ondina. Os filmes citados na reportagem estão disponíveis para aluguel na loja, que custa R$ 9,90 por 72 horas. O local fica aberto de 9h até 21h e o contato é (71) 3495-5081.

Há ainda outras opções, como a Vídeo e Cia, no Largo Dois de Julho, que tem mais de 20 mil obras à disposição. A loja funciona das 9h às 18h e o aluguel custa R$ 4. O contato é (71) 3321-3824.

Há ainda a Salvador Vídeo, na Rua dos Bandeirantes, no Matatu de Brotas, que abre de segunda a sábado, das 9h às 20h. O aluguel em dias de semana sai a R$ 3,50, enquanto no fim de semana custa R$ 4. O contato é (71) 3383-0280.

Se você prefere a comodidade de ver os filmes sem sair de casa, também tem solução. Alguns deles estão disponíveis na plataforma Netflix, enquanto outros podem ser alugados no Youtube, com valores variados, ou em aplicativos para celular, como Telecine Filmes, no iTunes (iOS) ou Google Play Store (Android).

Fonte: Correio