O testamento da atriz Betty Lago está suspenso por conta de uma decisão liminar e o caso será discutido em nova audiência na Justiça em 10 de setembro. Os dois filhos de Betty, Bernardo e Patrícia, brigam pelo espólio da atriz. Ela deixou 80% dos bens no testamento para o filho Bernardo. A irmã dele, Patrícia, questiona.

Segundo o A Tarde é Sua, da RedeTV!, diz que Patrícia alega que a atriz foi induzida a assinar um novo testamento já nas últimas horas de vida, sob efeito de medicações fortes. A atriz morreu em setembro de 2015, aos 60 anos, vítima de câncer na vesícula.

Patrícia pede na Justiça equiparação, com cada um dos irmãos ficando com 50%. Ela também pede um novo administrador dos bens, afirmando que o irmão já teria perdido um dos apartamentos deixados pela atriz por não pagar o IPTU. Duas salas comerciais também estariam indo para leilão por conta de dívidas.

No programa, foi exibido um despacho em que a juíza do caso marca a audiência de setembro e intima os envolvidos. A decisão foi tomada após serem encontrados “inúmeros erros materiais” no testamento.

Um dos erros que chamaram mais atenção é o nome da mãe de Betty, que estava errado – Nilceia, enquanto o correto é Nílcia. O nome e a data de nascimento de Patrícia também estavam incorretos. Alega-se que a atriz não teria notado esses erros porque já não estava bem.

O tabelião que acompanhou a assinatura foi intimado e garantiu que a atriz estava “em perfeito juízo”, contrariando laudos médicos dos dias anteriores que constataram que Betty “mal conseguia balbuciar algumas palavras” e tinha tremores nas mãos. Um dos laudos dizia que a atriz estava com pressão arterial de 8×5 e batimentos cardíacos por minutos chegando a 48. “Praticamente desmaiada”, comentou a apresentadora Sônia Abrão.

Agora, a juíza que aceitou suspender o testamento liminarmente vai decidir em caráter definitivo se ele é válido ou não. 

Fonte: Correio