Neste sábado (24), o Vitória desperdiçou mais uma chance preciosa de se afastar do Z4 da Série B. Empatou em 0x0 com o Operário-PR pela 18ª rodada, em sua última partida em casa no primeiro turno da competição.

Foi o segundo empate seguido sem gols do rubro-negro no Barradão. Na última quarta-feira (21) o Vitória ficou no 0x0 com o América-MG. Com isso a equipe, que podia ter chegado aos 23 pontos, ficou com 19, na 15ª posição.

O rubro-negro segue com a mesma pontuação do Oeste, 17º colocado e primeiro integrante da zona de rebaixamento. O Leão se diferencia dele e do Vila Nova, 16º, pelo número de triunfos: cinco contra quatro e três, na ordem.

O Leão fez um primeiro tempo dominante, criando pelo menos cinco chances de abrir o placar. No intervalo o técnico Carlos Amadeu mexeu mal, tirando a velocidade da equipe. Resultado: quase tomou um gol do Operário aos 36 minutos.

A maratona do Vitória com dois jogos por semana continua na terça-feira (27), desta vez fora de casa. O adversário será o Coritiba, às 19h15. O Coxa é atualmente o vice-líder, com 33 pontos, e não sabe o que é perder há nove rodadas.

Confira galeria contando a história do jogo:

Escalou bem…

O Vitória jogou solto no primeiro tempo. Com meio-campo e ataque mais leves – formados por Wesley, Chiquinho, Gedoz e Caicedo – a equipe dominou a posse de bola e criou chances com uma facilidade que ainda não havia mostrado nesta Série B.

Foram tantas chances criadas que fica até difícil listar. Aos 10, Wesley cruzou da direita na cabeça de Caicedo. Ele cabeceou forte, mas o goleiro salvou. Aos 13, a bola sobrou no pé de Baraka após escanteio. Livre e com o goleiro caído, o volante chutou por cima do gol.

Aos 23, Capa cruzou rasteiro da esquerda. Chiquinho, livre na área, finalizou bem, mas Rodrigo Viana salvou outra. O goleiro do Operário estava impossível. Aos 28, Gedoz cobrou falta bem colocada, no canto esquerdo, mas o camisa 1 pegou de novo.

Trabalhando mais uma vez como meia, assim como fez sob o comando de Osmar Loss, o lateral Chiquinho foi o destaque. Aos 33, ele deu um presente para Caicedo ao lançar o equatoriano nas costas da defesa. De frente para o goleiro, o atacante chutou torto, para fora.

… mexeu mal

Pela leveza que deu certo no primeiro tempo, não dá para entender a mudança de Amadeu no intervalo. O técnico substituiu Capa por Nickson. Com isso, recuou Chiquinho para a lateral esquerda e colocou em campo um meia lento, que voltou há pouco tempo de lesão.

Pouco depois, ainda tirou Wesley para colocar Anselmo Ramon. O efeito disso foi que o Leão perdeu completamente a velocidade e tornou-se um time previsível com a bola nos pés. Como o Operário também não tinha muita ambição, a etapa final foi de uma pobreza lamentável.

Acredite: o primeiro chute a gol do Vitória foi somente aos 39, quando Caicedo avançou pela direita e tocou para Anselmo Ramon na área. O goleiro pegou. Antes disso, o Leão escapou de um prejuízo enorme. Aos 36, Cleyton desviou cruzamento rasteiro e acertou o travessão.

No último lance do jogo, Eron recebeu em velocidade, invadiu a área e mandou longe. Após o apito final, a torcida protestou pelas alterações equivocadas do técnico rubro-negro. Saldo final ruim para o Vitória.

Fonte: Correio