Foi enterrado no final da tarde deste domingo (25) o corpo da atriz, escritora, roteirista e apresentadora de TV, Fernanda Young. O sepultamento ocorreu por volta de 17h no Cemitério de Congonhas, na região Sul de São Paulo. Familiares e amigos estiveram na cerimonia que ocorreu de forma bem rápida. A atriz faleceu após sofrer uma crise de asma.

“Ainda nada de novo” seria o próximo espetáculo teatral de Young. A atriz subiria ao palco do Centro Cultural São Paulo para longa temporada, prestes a ser iniciada em 12 de setembro, onde contracenaria com Fernanda Nobre. A montagem se prometia intensa e intimista e, juntas, artistas interpretariam diretora e atriz às vésperas de iniciar a filmagem de uma nova obra.

À beira de completar cinco décadas de vida, a atriz se desdobrava sobre suas redes sociais onde, suspeita confessa, reafirmava que, apesar de escrever para viver, poderia derramar seus desabafos gratuitos e com falhas no Instagram. Desde o anúncio de sua morte, publicado por “O Globo”, fãs amigos retornam às caixas de comentários para homenageá-la.

Com raízes fincadas nos palcos e em frente às câmeras, nas próximas semanas Fernanda estrearia “Ainda Nada de Novo” e permaneceria em cartaz por longa temporada no Centro Cultural São Paulo. Ao lado de Fernanda Nobre, a artista mergulhou, durante ensaios, na história de uma diretora e sua atriz às vésperas do início das gravações de uma nova obra. O amor e o perverso destacado na relação tumultuada entre as duas artistas, como ela própria escreveu.

Para ela, a ‘passagem pela orbe’, como destacou ainda há dois dias, parecia distante do fim. Engasgada sob acusações de ‘louca’, costumeiramente dirigidas a ela, a atriz espantou comentários agressivos a partir de seu tenso desabafo, publicado ainda há dois dias. “Sou uma mulher de 50 anos que sonhou alto e realizou muito. E estou longe de encerrar a minha jornada nessa orbe! Aos que se interessam: bom proveito. Para os outros: estou pouco me lixando!”.

Sem optar por paradas, à Leda Nagle, em seu canal no Youtube, Fernanda confidenciou seu processo de escrita para um recente programa de comédia, que estrearia nas telas da Rede Globo ainda neste ano.

Apresentadora televisiva, atriz, escritora, roteirista e outro sem-número de desenlaces artísticos, Young despontou no cenário das artes há mais de duas décadas quando, ainda em 1995, assumiu o roteiro do humorístico “A Comédia da Vida Privada”, ao lado de seu marido, Alexandre Machado. A série se desdobrou pela adaptação de textos de Luís Fernando Veríssimo, todos centrados no cotidiano tão próprio dos brasileiros.

Sem perder o afeto pela literatura, publicou seu primeiro romance “Vergonha dos Pés” no ano seguinte à escrita da comédia, este procedido por “À Sombra de Vossas Asas”. Autora de dez romances ficcionais, Fernanda é pontualmente lembrada pelo destacado pela crítica “Pau”, narrativa com pitadas psicanalíticas e bastante ácidas sobre Adriana, mulher que se depara com as traições de seu namorado, 14 anos mais novo.

Ainda no ano passado, Fernanda se arriscou e decidiu se enveredar pela própria vida e seus olhares sobre o feminismo durante a escrita do autobiográfico “Pós-F: Para Além do Masculino e do Feminino”. Àquela época, veio a Belo Horizonte para o lançamento da obra. “Não foi fácil. Quando escrevo em primeira pessoa, não há mais desculpas, os equívocos não são desculpáveis”, narrou à reportagem.

O título de sua obra, aliás, joga luz sobre suas reflexões diante do ato político da existência feminina e feminista, pautado no amor, no respeito e na sustentação do próprio desejo. “O pós-feminismo é um mundo que sonhei aos 13 anos. Quando eu ia para o colégio, não podia botar um bóton no uniforme, mas eu sempre colocava, porque aquilo já era um ato político”, exemplificou ainda em 2018.

Brasileiros afeitos à televisão não costumam se esquecer de personagens icônicos, como o casal Rui e Vani, personagens protagonistas da comédia “Os Normais”. O seriado roteirizado por Fernanda Young estreou há dezoito anos, foi exibido ao longo de dois anos, na Rede Globo, e convertido no longa-metragem homônimo. Após o trabalho, a escritora assumiu ainda participações no quadro Supersincero (2005), no programa “Fantástico”, e no seriado “Minha Nada Mole Vida”, no ano seguinte.

Ainda no início do século, apresentou o “Saia Justo”, no canal à cabo GNT, ao lado de Rita Lee, Mônica Waldvogel e Marisa Orth. Conquistou seu programa próprio de entrevistas com celebridades, “Irritando Fernanda Young”, que permaneceu no ar por quatro anos, entre 2006 e 2010. A lista de trabalhos é extensa e está longe de parar por aí, são mais de trinta participações e trabalhos como atriz, roteirista e apresentadora, na televisão, nos bastidores e no cinema. Não à toa é considerada uma das roteiristas mais brilhantes de sua geração.

Casada com o também escritor Alexandre Machado, Fernanda Young é mãe das gêmeas Cecília Madonna e Estela May. A atriz também deixa os filhos Catarina Lakshimi e John Gopala, com 10 anos.

(Com Laura Maria)

Fonte: Agencia Brasil