A polícia prendeu um homem acusado de furtar a arma de um delegado, de dentro do 34º DP (Vila Sônia, zona oeste) no dia anterior. A prisão do suspeito, de 29 de anos, ocorreu no último dia 13 na casa dele, na região de São Mateus (zona leste da capital paulista). O acusado alega inocência.

Segundo apurou a reportagem, ele já foi indiciado ao menos outras seis vezes tentando levar objetos de policiais civis de dentro de delegacias. 

No último dia 12, segundo a polícia, o suspeito entrou no 34º DP, de onde teria levado a arma de um delegado de 40 anos. Após a constatação do sumiço da pistola, digitais foram colhidas no distrito, sendo que uma delas seria do acusado.

Por conta da descoberta das digitais, policiais localizaram a casa do suspeito. A arma do delegado não foi encontrada no local, segundo registro da polícia. Porém, investigadores apreenderam cinco munições calibre 380, a mesma quantidade de de munições calibre ponto 40, mais de 200 gramas de maconha, além de um artefato explosivo.

A família do suspeito questiona o encontro das armas, da droga e do explosivo, dizendo que não estavam na casa. 

Segundo boletim de ocorrência, o acusado teria alegado que vendeu a arma do delegado por cerca de R$ 1.000, pois precisava de dinheiro “para pagar contas e comprar objetos”. 

Ele teve a prisão preventiva expedida pela Justiça e está no CDP (Centro de Detenção Provisória) de São Bernardo do Campo (ABC). 

Outros crimes Além do furto do último dia 13, em fevereiro de 2016 o homem foi flagrado quando saída do 31º DP (Vila Carrão, zona leste) levando o celular de um escrivão, que havia se ausentado do local. O acusado, segundo boletim de ocorrência, tentou desarmar um policial que o abordou. Ele foi indiciado por roubo e resistência. 
Três anos antes, em janeiro de 2013, o acusado tentou furtar um revólver, calibre 38, da sala dos investigadores do 11º DP (Santo Amaro, zona sul). De acordo com a polícia, ele foi flagrado quando colocava a arma na cintura. No momento da prisão, houve resistência e o revólver disparou uma vez contra o chão. Ninguém se feriu. 

Em dezembro de 2011, ele também foi flagrado no momento em que colocava o notebook de um delegado do 4º DP (Consolação, centro) em uma mochila. Ele foi preso no local. 

Um ano antes, o “ladrão de delegacias” foi preso após ser flagrado furtando o celular de um policial nas dependências do DHPP (Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa), no centro da capital paulista. Ainda em 2010, em novembro, ele foi detido pelo mesmo crime na 8ª Delegacia Seccional, em São Mateus. 

Em fevereiro de 2008, o chefe de investigações do 1º DP de São Caetano do Sul (ABC) flagrou o suspeito mexendo na mesa de um escrivão. Ao ser revistado, segundo a polícia, o celular de um policial foi encontrado com ele. 

OUSADIA

A presidente do Sindicado dos Delegados do Estado de São Paulo, Raguel Kobashi Gallinati, afirmou que invadir e furtar delegacias não é comum.  “A ação mostra que os criminosos estão cada vez mais ousados e contando com a certeza da impunidade. Tanto isso não é verdade que acabou preso”.

Ela atribui à falta de efetivo nas delegacias a facilidade para que alguns criminosos levem objetos dos locais. 

Fonte: Agencia Brasil