Nós estamos acostumados a não nos organizarmos na vida e deixar que o tempo, a sorte e o acaso nos deem resultados positivos, e, diga-se de passagem, a curto prazo. Numa espécie de autoavaliação, vi que eu também faço parte disso, embora me organize na medida do possível para realizar as tarefas do trabalho e atender as necessidades da vida pessoal particular. Nessa análise, descobri que o que me parece um grande amigo, aliado e parceiro pode ser meu inimigo mortal, estagnador e emburrecedor ao longo dos anos, dias e horas de vida.

Num passeio breve pelo meu dia descobri que na maioria das vezes durmo mal. O ideal seria dormir 8h por dia porque ajuda na concentração e até na alimentação. Segundo pesquisadores, dormir bem te ajuda na saciedade e assim comemos menos. Se é verdade não sei. E não sei porque não faço. Os estudiosos no assunto dizem que devemos parar de comer 2h antes de dormir para ter um sono leve e saudável, desligar os aparelhos eletrônicos como tevê, celular e computador 1h antes de deitar e manter o quarto bem escuro, bloqueando as luzes de fora para que não atrapalhe o nosso sono. Aliado a isso, ter um horário fixo para dormir e acordar, de preferência bem cedo para que possa aproveitar o dia.

É recomendado fazer atividade física antes de começar a trabalhar para manter o corpo em forma e ativar o cérebro, que adora ser estimulado. Essa é difícil de cumprir já que estamos dentro dum grupo de países com pessoas sedentárias em grande escala e que, ao longo do dia, comem muito mal. Quem faz atividade física, geralmente, tem hábitos alimentares diferente dos sedentários, que preferem as gorduras, enlatados, frituras, deixando as frutas, legumes e até água como alimentos dispensáveis para o dia-a-dia. E o pior não é isso. Nós acreditamos piamente que vamos emagrecer sem sequer comer direito. Loucura.

Trocamos a leitura de livros por redes sociais, entre eles os grupos de Whatszap desnecessários e que na maioria das vezes trazem informações absolutamente descartáveis, construindo assim um ignorante, desinformado e alinhado com pensamentos segmentados, mesquinhos e pequenos a ponto de serem esquecidos no próximo clique. Uma perda de tempo enorme.

Todo e qualquer momento livre é simplesmente transformado em momento ocupado por algo que não rende, produz e com os quais não lucramos absolutamente nada.

Por exemplo, você lembra do que viu no grupo do zap na sexta-feira passada, às 15h? Não? Nem eu. Então, esse tempo foi jogado fora. Tempo de vida que podia ser utilizado para algo mais produtivo, que marcasse a sua história de vida como, por exemplo, o dia do seu aniversário. Esse sim, você  lembra o que fez durante o dia porque se trata da data do seu nascimento, maior representação de felicidade para você, embora você não lembre de nada do dia em que nasceu. Mas alguém fez esse relato para você. Nem que seja dos seus aniversários anteriores, você deve ter um flash bacana. 

Diferente da quantidade imensa de grupos de zap que participamos, a família e os verdadeiros amigos irão te procurar se você sumir. Já experimentou sair desses grupos e prestar a atenção a quem realmente se importa com a sua presença mesmo que virtualmente? Fiz essa experiência e foi na mosca. Pessoas que pareciam se importar comigo e com o que eu pensava nem sequer perguntaram o porquê sai. Foi um alívio para mim que conseguir voltar a malhar, ler, compor e ouvir música, pintar…

Tirei as notificações do celular e consegui olhar a natureza quando estou de carona no carro. Já não fazia isso há tempos. Às redes sociais dei um limite baseado no tempo que posto e leio com um nível de seletividade ainda razoável. Sai de vários grupos que mandavam putaria e opiniões políticas equivocadas.

Respeito as opiniões, mas entendi que qualquer discussão sobre política em que a imposição é via de regra não me interessa.

Por fim, recomendo fazer uma coisa de cada vez nessa vida. Nos últimos anos, entramos numa onda de que podemos fazer tudo ao mesmo tempo agora. Now. É mentira. E a prova disso é que estamos cheio de projetos de vida parados, inacabados. Quando executados é muito fácil reconhecer a deficiência deles, o mal acabamento e a falta da profundidade que poderíamos dar se priorizamos um pouco mais cada projeto no espaço de tempo em que cuidamos de nosso corpo e mente.

Se olhe.

Fonte: Correio