A polícia procura há quase um mês o paradeiro do principal suspeito de matar o desempregado Joab Dias Costa, 23 anos, em 30 de julho no Grajaú (zona sul da capital paulista). O crime ocorreu cerca de vinte dias após a vítima ganhar R$ 10 em um jogo de baralho. A Justiça decretou a prisão do acusado, que era vizinho da vítima. 

Segundo a cunhada da vítima, uma caseira de 23 anos, o acusado pelo crime propôs jogar baralho com Costa. Quem perdesse deveria pagar R$ 10 para o vencedor. O desempregado ganhou a partida. Por conta disso, segundo a polícia, o acusado agrediu o desempregado com pauladas e socos. 

Desempregado foi morto com tiros e facadas dias após vencer jogo de baralho na zona sul da capital paulista. Por conta da violência, a sogra da vítima deu R$ 10 ao suspeito, que não teve a identidade informada. “Mas depois que os dois brigaram, nosso vizinho [acusado] começou a ficar olhando muito para o Joab. Dava para perceber que ele estava com maldade nos olhos”, afirmou a caseira. 

No último dia 30, por volta das 21h, a cunhada de Costa ouviu entre quatro e cinco tiros. Por causa disso, ela desligou as luzes de casa. Quando abriu a cortina para ver o que havia acontecido, ela afirma ter visto o vizinho correndo. Depois disso, o acusado não foi mais visto. 

Costa morreu no local. Ele foi baleado no pescoço, costas e também foi degolado, segundo familiares. O caso é investigado pelo 101º DP (Jardim das Imbuias). 

Investigação Segundo a SSP (Secretaria da Segurança Pública), gestão João Doria (PSDB), o acusado teve a prisão temporária decretada pela Justiça. O tempo da prisão não foi especificado pela pasta. “Buscas são realizadas para capturá-lo”, diz trecho de nota. . 
Ainda segundo a SSP, seis pessoas foram assassinadas na região do 101º DP nos sete primeiros meses deste ano. No mesmo período do ano passado, foram nove casos, uma queda de 33%.

Fonte: Agencia Brasil