O segundo e derradeiro turno da Série B começa nesta sexta-feira (29) à noite para o Vitória. E nenhum torcedor rubro-negro, nem mesmo o mais pessimista, imaginou no começo de 2019 que o Leão chegaria a esta fase como 16º colocado, ‘porteiro’ da zona de rebaixamento.

Ocorre que a equipe agora será obrigada a ter um segundo turno melhor que o primeiro. Se a campanha de 20 pontos for espelhada, o rubro-negro terminará com 40 pontos, bem abaixo da média histórica para se salvar da degola, que é de 45 pontos.

A missão, sob comando de Carlos Amadeu, começa diante do Botafogo-SP, no Barradão, a partir das 21h30. No primeiro turno o confronto não foi nada positivo para o rubro-negro, que perdeu em Ribeirão Preto por 3×1 de virada.

Como vem o time

Para a partida, o técnico conta com um time reforçado. O volante Baraka, capitão da equipe, e o meia Felipe Gedoz retornam de suspensão. Eles haviam participado de todas as dez partidas do rubro-negro após a pausa para a Copa América.

O zagueiro Zé Ivaldo, recuperado de edema ósseo num joelho, também reforça a equipe. Ele ainda não esteve à disposição de Amadeu, já que lesionou-se na derrota por 1×0 para o Cuiabá, na primeira partida após a Copa América, ainda sob comando de Osmar Loss.

A única dúvida em relação à equipe titular é justamente se Ivaldo será ou não titular. Everton Sena está suspenso pelo terceiro cartão amarelo, abrindo uma vaga para atuar na zaga ao lado de Ramon. Por conta da falta de ritmo é possível que Bruno Bispo receba uma chance.

Outro desfalque é o goleiro Martín Rodríguez, que sofreu um corte profundo joelho esquerdo no empate em 1×1 com o Coritiba no último sábado (24). Ronaldo será titular, assim como ocorreu no decorrer daquela partida.

Com os retornos de Baraka e Gedoz, a escalação deve contar com Ronaldo; Van, Ramon, Zé Ivaldo (Bruno Bispo) e Capa; Baraka e Lucas Cândido; Wesley, Felipe Gedoz e Chiquinho; Jordy Caicedo.

Autor do gol sobre o Coritiba, o volante Lucas Cândido citou o que esperar dessa equipe: “Um time aguerrido, querendo sair com os três pontos, que vai ser o mais importante. Temos aqui um pensamento positivo, de que vamos conquistar esses pontos importantes”.

A largada terrível

Começar o segundo turno na 16ª posição é chato, mas podia ser bem pior. Como mostrado no balanço do 1º turno, publicado no CORREIO, a equipe passou 13 das 19 rodadas no Z4. Destas, três foram como lanterna da competição.

Boa parte desse problema deveu-se a um péssimo rendimento na sequência inicial do primeiro turno, a mesma que repete-se agora, mas com os mandos de campo invertidos. O objetivo do Leão, portanto, é inverter também a pontuação a ser obtida.

Nos quatro primeiros jogos da Série B o rubro-negro somou apenas três pontos. Aproveitamento tão pífio que afundou a equipe na zona de rebaixamento já na quarta rodada. O clube só sairia de lá na 16ª rodada, exatos três meses depois.

A largada tão prejudicial para o Vitória começou com a derrota por 3×1 para o Botafogo-SP, fora de casa, de virada. Na sequência, recuperou-se vencendo o Vila Nova no Barradão, por 2×1, também de virada, essa a favor.

O chato, mesmo, veio em seguida. Na terceira rodada, o Leão visitou o Guarani, que ainda não havia vencido na Série B depois de um início ruim de temporada no Paulistão. O Bugre acabou encerrando seu jejum com um 3×2 sobre o rubro-negro, também de virada.

O jeito para o Vitória era recuperar-se em casa contra o São Bento, que havia ganhado apenas um jogo em toda a temporada, nenhum na Série B. Pois o rubro-negro perdeu outra, por 3×1, mais uma vez de virada. Entrou no Z4 e o técnico Claudio Tencati acabou demitido.

Pontuar agora é obrigação

Apesar do retrospecto ruim, o Vitória pode olhar agora para a sequência que tem pela frente contra os mesmos adversários com enorme confiança. Nenhum dos futuros oponentes tem feito uma Série B convincente. A maioria, inclusive, está atrás do Leão na tabela.

O Botafogo-SP é o único dos quatro que tem campanha melhor que a do Leão. É atualmente o 9º colocado, com 27 pontos, sete a mais que o rubro-negro. A equipe, porém, venceu apenas um jogo dos últimos cinco, e foi em casa, sobre o Londrina.

Depois do time de Ribeirão Preto o Vitória só encontrará times que estão no Z4, ou seja, piores que ele. O Vila Nova é o 17º colocado, com os mesmos 20 pontos do rubro-negro, mas com um triunfo a menos. O duelo será em Goiânia, onde o Tigre não vence há cinco rodadas.

Na sequência recebe o Guarani, lanterna da Série B, com 16 pontos, e o São Bento, 18º colocado, com 19 pontos. Ou seja, das equipes que hoje compõem o Z4 o rubro-negro só não enfrentará o Oeste, 19º colocado – o que só ocorrerá pela 27ª rodada.

O recado, portanto, é simples: se esta mesma sequência foi fundamental para que o Vitória não tivesse um bom primeiro turno no geral, ela será importante para que o rubro-negro obtenha um desempenho bem melhor no returno.

O volante Lucas Cândido reforça o otimismo: “A perspectiva é sempre boa, não podemos ter dúvidas. Temos que pensar sempre em ganhar, subir na tabela. Esperamos nesse segundo turno subir na tabela, quem sabe conseguir a classificação para o acesso”.

Fonte: Correio