O soldado da Polícia Militar Luiz Flaviano Brito Gomes foi alvejado por um disparo de arma de fogo por volta das 21h deste sábado (31) no trabalho enquanto atuava em uma ocorrência de denúncia de som alto no Condomínio Horácio Costa, final de linha de Campinas de Brotas. 

Segundo registro feito no posto policial do Hospital Geral do Estado (HGE) o soldado integrava uma equipe da 26ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM) que foi acionada para atender a denúncia referente ao alto volume do som. Os militares, ao chegar no local, identificaram o alto volume e ainda que o motorista estava obstruindo a passagem dos moradores.

Os militares, então, determinaram que o suspeito, Máximo Vinicius dos Santos Figueiredo, 38, retirasse o carro da via e desligasse o som, mas a ordem não foi atendida pelo homem. Máximo é morador do condomínio segundo vizinhos informaram ao CORREIO neste domingo (1º). 
 
De acordo com o registro, após ser repreendido, o homem agrediu um dos policiais e houve luta corporal.

O soldado foi cercado por homens que estavam junto com o dono do carro na tentativa de tomar seua arma. De acordo com a PM, neste momento, outro militar que integrava a equope disparou dois tiros. Uma das balas atingiu o militar e a outra o dono do carro. 

Tanto o soldado quanto o dono do carro foram socorridos para o Hospital Geral do Estado onde deram entrada por volta das 22h. Máximo foi atingido no antebraço esquerdo e o PM no braço esquerdo.  O hospital não informou o quadro de saúde deles, mas a indicação é que estejam fora de perigo. 

O CORREIO esteve no condomínio neste domingo, mas nenhum morador quis falar sobre o assunto. A administração do residencial não foi localizada pela reportagem. 

O caso será investigado internamente pela Polícia Militar e também pela Polícia Civil. As instituições ainda não se procunciaram sobre o caso. 

Fonte: Correio