O Bahia teve uma sexta-feira diferente na véspera do jogo contra o Vasco, às 11h de sábado (7), em São Januário. No campo do Fazendão, apenas os goleiros em um trabalho específico. Jogadores de linha não foram ao gramado.

O motivo é o horário matutino da partida. Por causa do horário, a delegação tricolor viajou na manhã desta sexta para o Rio de Janeiro. A partida vale pela 18ª rodada do Brasileirão.

O assunto foi abordado na entrevista coletiva do técnico Roger Machado, quinta-feira. “Pela logística, para que a gente consiga pelo menos chegar lá perto do jogo, imagine sempre poder chegar com, no mínimo, 24h antes. Para que consiga fazer isso, tem que abrir mão do treino na véspera. É prejuízo (…). Mas é o que temos, e a gente tem que se preparar para trabalhar e fazer da melhor forma. Nós tivemos três jogos às 11h, e foram bons resultado”, declarou o treinador.

O Bahia é o time que mais jogou às 11h na atual Série A, ao lado de Santos e Chapecoense. Nas três partidas, conseguiu triunfo de 1×0 sobre o Atlético-MG e empates de 0x0 contra São Paulo e Chapecoense, todos fora de casa.

A cobrança maior de Roger foi em relação a isonomia, já que há times que ainda não jogaram pela manhã. “Se todo mundo vai jogar quatro, cinco jogos neste horário, tudo certo. Mas geralmente a gente sabe que não é isso”.

Mistério na escalação
Com ou sem treino, a escalação do Bahia para enfrentar o Vasco é um mistério em duas posições.

No meio-campo, fica a dúvida se Roger manterá Guerra, em uma formação teoricamente mais ofensiva, que foi utilizada na vitória de 1×0 contra o CSA, na Fonte Nova, ou se colocará o volante Ronaldo no lugar do meia. Foi com a trinca formada por Gregore, Flávio e Ronaldo que o tricolor ganhou pela primeira vez como visitante, por 1×0 sobre o Atlético-MG, na 16ª rodada.

A outra dúvida está no ataque, devido ao desfalque de Artur, convocado para a seleção olímpica. Élber e Arthur Caíke disputam a posição.

A provável escalação tem Douglas, Nino Paraíba, Lucas Fonseca, Juninho e Moisés; Gregore, Flávio e Ronaldo (Guerra); Élber (Arthur Caíke), Gilberto e Lucca.

Fonte: Correio