Uma discussão na Ladeira do Carmo, Centro Histórico de Salvador, na madruga deste domingo (8), terminou em tragédia. Pouco depois de dar uma facada no irmão, Reinaldo Brito Barreto, 44 anos, tentou golpear um policial que foi chamado para detê-lo e acabou sendo morto a tiros dentro de um casarão onde a família mora e mantém também um bar.

Segundo relato de familiares, Reinaldo chegou ao local embriagado e foi para o segundo andar do imóvel na tentativa de agredir a própria mãe, Liege Souza Barreto, 89, que é portadora de Alzheimer.

Ele foi impedido pelo o irmão, Alexnaldo Brito Barreto, 46, e pelo PM. Transtornado, Reinaldo partiu para cima dos dois com uma faca e atingiu a mão do familiar. Para não ser atingido, o policial sacou a arma e disparou dois tiros que acertaram o tórax do agressor.

Alexnaldo ficou ferido após agressão do irmão (Foto: Bruno Wendel/CORREIO)

Feridos, Reinaldo e Alexnaldo foram socorridos pela Polícia Militar e levados para o Hospital Geral do Estado (HGE). Ambos deram entrada pouco depois das 20h. O agressor não resistiu e morreu por volta das 4h deste domingo (8). Já o irmão teve alta por volta das 3h. O caso foi registrado no Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP).

Recorrente
O fato aconteceu na Ladeira do Carmo, número 8, por volta das 19h. Segundo Alexnaldo, Reinaldo passou o sábado inteiro bebendo no Centro Histórico e à noite chegou embriagado ao Bar do Carmo, que funciona no andar térreo do casarão.

“Toda vez é assim. Quando bebe, ele se transforma. É agressivo. Ontem eu estava aqui, atendendo as pessoas, quando ele chegou alterado, gritando, quebrando as coisas do bar. Depois, subiu as escadas batendo em tudo”, reclamou o irmão ao CORREIO, exibindo a mão direita com curativos. Na manhã deste domingo, policiais do DHPP estiveram no local. 

Segundo Alexnaldo, Reinaldo, sem motivo aparente, disse que iria a um dos quartos para agredir a própria mãe, mas foi impedido por ele e um policial acionado pela população. “Ele já havia batido nela há cinco anos e, então, a família ficou revoltada. Ele estava do mesmo jeito, alterado por conta da bebida”, contou o irmão.

Descontrolado, Reinaldo pegou uma faca que estava à vista em um dos móveis da casa e partiu para cima do irmão, golpeando-o na mão direita. Em seguida, ainda com a faca na mão, foi duas  em direção ao policial, que atirou duas vezes no último ataque. “Ele estava enfurecido. Não sei o porquê, mas veio para matar a gente, eu e o policial”, relatou Alexnaldo. 

A vitima contou ainda que há duas semanas Reinaldo foi agredido por dois clientes, depois que um deles levou um soco gratuito do irmão. “Ele estava novamente bêbado e bateu, do nada, em um cliente. Nisso o rapaz que levou um murro e o amigo dele revidaram a agressão”, contou. 

Reinaldo, que morava no Cabula, trabalhava em um mercadinho no Centro Histórico. Era casado e, além da esposa, deixa um filho pequeno. Ele era o mais novo de três irmãos.

Perguntado se ele fazia uso de algum medicamento controlado ou uso de drogas, o irmão disse não saber. “Não sei. Cortei a minha relação de irmão com ele há cinco anos quando bateu em minha mãe”.

Fonte: Correio