Protagonista do primeiro beijo gay da televisão brasileira, o ator Mateus Solano resolveu resgatar a cena exibida há cinco anos, na Globo, em meio à polêmica da censura na Bienal. Em suas redes sociais, Solano postou uma foto do beijo que seu personagem Félix deu, na época, em Niko (Thiago Fragoso).

“Este beijo foi pedido pelo brasileiro; aceito e aplaudido pelo brasileiro. Foi um momento mágico onde o amor e a humanidade venceram”, escreveu o artista na publicação. Mas a História caminha em soluços… Que os passos atrás que estamos dando como sociedade sejam de fato parte do caminho tortuoso que vai nos levar a um Mundo de paz, amor e harmonia entre nós”, completou.

Seu parceiro de cena também se pronunciou sobre a novela Amor à Vida (2013), de Walcyr Carrasco. “Na época nós achávamos que o Brasil tava mudando. Hoje acho que foi um ato de resistência. Um privilégio participar daquela história com você, amigo”, desabafou Fragoso.

Além de falar sobre a cena que deu visibilidade às causas LGBTQ+, Solano se pronunciou sobre o fato de o Brasil ser um dos países onde há mais crimes homofóbicos. Questionado pela entrevista Istoé se a criminalização seria capaz de reduzir esses números, Solano respondeu que “ajuda sim” e que “todo passo é um passo”.

Apesar disso, o ator questionou o preconceito ainda existente. “Depois do beijo gay que o Brasil todo aplaudiu, porque o país continua tão homofóbico? Mostra que o beijo gay não foi comemorado por tanta gente assim, que vivemos numa bolha”, lamentou.

Na mesma entrevista, o ator revelou o que faria se tivesse um filho gay. “Nenhum problema. Outro dia mesmo estava pensando sobre isso. Até porque vi um filme que tinha uma trans que tinha se transformado aos 40 anos. Fiquei me colocando no lugar dos pais dela. A minha vontade que meus filhos sejam heterossexuais está muuuuito abaixo da minha vontade que sejam felizes do jeito que for melhor para eles”, afirmou.

Fonte: Correio