O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), decretou luto oficial de três dias em função do incêndio no Hospital Badim, no Maracanã, zona norte da cidade, que deixou 11 mortos na noite desta quinta-feira (12).

Crivella esteve no local no início da manhã desta sexta-feira (13) e afirmou que dará apoio às vítimas. O prefeito cancelou agenda que faria para anunciar a licitação para a nova gestão do Museu do Amanhã.

Em coletiva de imprensa, o prefeito do Rio pediu para apurar se houve “sabotagem”:

“Confesso a vocês que, na hora que eu vi todas as instalações, eu posso estar errado, eu quero estar errado, peço a Deus que esteja errado, mas é uma coisa que tem que ser investigada, se houve alguma sabotagem”, afirmou Crivella.

A tese de sabotagem foi considerada “prematura” pelo delegado Roberto Ramos, da 18ª DP (Praça da Bandeira), que investiga as causas do incêndio.

“É completamente prematuro. Nós somos técnicos, fazemos avaliação técnica e, para isso, a perícia da Polícia Civil está aqui”, disse o delegado, também em coletiva de imprensa.

Segundo o hospital, um curto-circuito no gerador do prédio 1 da unidade de saúde provocou o início das chamas, que espalharam fumaça para todos os andares do prédio antigo.

Uma pessoa teve a morte confirmada pelos bombeiros durante a noite e outras dez pela Defesa Civil durante a madrugada e a manhã desta sexta.

Brigada de incêndio agiu

A direção do hospital expressou “profundo pesar” e informou que 103 pacientes estavam internados no local no momento do incêndio

Imediatamente, declarou o entidade, a brigada de incêndio iniciou a evacuação do prédio, mesmo antes da chegada do Corpo de Bombeiros.

“Desde o primeiro momento a prioridade total foi socorrer os pacientes e funcionários e salvar vidas. Mais de 100 médicos foram mobilizados para dar assistência aos pacientes que estavam sendo socorridos”, acrescentou a direção.

“Face a esse fato trágico, a solidariedade dos hospitais privados e das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde está garantindo que os pacientes sejam transferidos.”

Fonte: Agencia Brasil