A Escola de Administração da Ufba (Eaufba) já nasceu inovando, com formação diferenciada e acompanhando o melhor da tecnologia da época. E isso foi há 60 anos, em 1959. Hoje, a instituição mantém a busca por inovação e qualidade, mas quer mudar a forma como o conhecimento circula. “Na perspectiva interna, estamos vivendo um momento em que parte da equipe está incomodado com a situação do ensino de forma geral”, relata o diretor, Horácio Nelson Hastenreiter Filho.

Para inovar e ter uma nova perspectiva também no ensino, a Eaufba vai focar no estudante, a partir projetos com maior envolvimento dos alunos. A grade curricular também vai mudar. Desde 2016, o Curso tecnólogo em gestão pública e social parou de receber ingressos para se preparar para a criação de um curso em Administração Pública e outro de Empresas.

O protagonismo já começou com a movimentação dos alunos para empreendimentos próprios, como a recém-criada Liga de Mercado Financeiro e a balzaquiana Empresa Jr. Conheça alguns do projetos da instituição.

1. Regulação 2.0
O projeto está desenvolvendo uma plataforma tecnológica, um aplicativo para tablets e smartphones, que espelhe o sistema SuremWeb, que controla o acesso direto de usuários do SUS a serviços de saúde regulados do estado da Bahia: os leitos de UTI. A meta e que o sistema possibilite a agentes estaduais e municipais acesso em tempo real às listas de espera, auxiliando o planejamento das ações e a interlocução com o controle social. Tudo isso é realizado pelo Grupo de Pesquisa ‘Observa Políticas’, com profissionais, pesquisadores e estudantes da Rede de Inovação e Aprendizagem em Gestão Hospitalar – InovarH, liderados pela professora doutora Vera Lúcia Peixoto Santos Mendes.

2. Empresa JR ADM Ufba
Comemorando 30 anos, a Empresa Jr. ADM UFBA tem como foco a constante melhoria. Isto é comprovado por suas premiações e crescimento. Entre 2015 e 2018, a empresa baiana aumentou faturamento em 64%. No ano passado, lucrou R$ 242 mil. O presidente da empresa, Guilherme Melo, conta que a organização tem como objetivo desenvolver as pessoas e criar uma Bahia mais empreendedora. O trabalho dos estudantes é reconhecido. Além de premiações desde 2005, em 2019, a instituição foi reconhecida como Empresa JR de Tri Alto Crescimento, métrica utilizada pela Brasil Júnior para organizações que têm um crescimento exponencial e constante durante os anos.

A Emrpesa JR ADM Ufba completa 30 anos
(Foto: Divulgação)

3. Laboratório de Inovação e Tecnologias Sociais
O Centro Interdisciplinar de Desenvolvimento e Gestão Social (Ciags) ofereceu um curso de especialização para 300 funcionários do Banco do Brasil, à distância, e coordenou quatro universidades. Desde então, houve muito investimento no Laboratório de Inovação e Tecnologias Sociais (Labor) para dar suporte aos projetos e pesquisas do Ciags. As tecnologias gestadas no laboratório são usadas para compartilhar conhecimento, desenvolver jogos educacionais e pesquisar e desenvolver metodologias inovadoras para desenvolvimento socioterritorial. Desde de 2018, o Ciags oferece um curso para de gerentes de desenvolvimento urbano para a Caixa Econômica, em cinco polos do Brasil.

4. Residência Social
A Residência Social é mais um dos projetos da Eaufba. Formatado como uma tecnologia social, tem marca registrada junto ao Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) e possibilita a formação de gestores sociais tanto na graduação como na pós-graduação – a depender da natureza da organização e do projeto. Na prática, estudantes do mestrado, da especialização e do curso tecnólogo de gestão fazem um tipo de ‘intercâmbio’ fora da cidade e até do país, onde aprendem a solucionar problemas reais com a experiência de situações já vividas em outros lugares. Desde 2005, a Residência Social já foi a 75 países – com estudantes de mestrado. Na especialização, a imersão é dentro do Brasil.

5. Grupo Águas
Integrante do Núcleo de Pós-Graduação em Administração (NPGA), o Grupo Águas estuda temas relacionados à regulação do uso da água e o impacto dessa utilização no meio ambiente e na sociedade. O trabalho do grupo se destaca pela contribuição não só técnica, mas também social. O Águas é parceiro de órgãos do governo – responsáveis pela regulação e gestão dos recursos hídricos -, e instituições da sociedade civil, como os comitês de bacias hidrográficas. Os resultados do trabalho são utilizados para a fundamentação de processos de elaboração de políticas públicas setoriais, além de subsídio para os movimentos sociais relacionados a questões ambientais e de direito.

6. Desenvolvimento de Territórios
Com o objetivo de trazer um desenvolvimento mais integrado e sustentável para comunidades de Salvador e suas proximidades, o projeto DIST (Desenvolvimento Integrado e Sustentável de Territórios) tem apoio da Caixa Econômica. A primeira experiência aconteceu no Bosque da Bromélias, empreendimento do Minha Casa, Minha Vida, na CIA-Aeroporto, há 5 anos. No local, foi feito um trabalho de integração cidadã, cultural, esportiva, ambiental. Como o projeto, foi promovido um curso de panificação pelo Senai no Bosque da Bromelias. Desde 2017, o projeto ocorre em dois empreendimentos do Minha Casa, Minha Vida em Itinga, em Lauro de Freitas.

Projeto já atuou no Bosque das Bromélias e, agora, está em Itinga
(Foto: Divulgação)

7. Liga de Mercado Financeiro
Formada por estudantes, a Liga de Mercado Financeiro da Universidade Federal da Bahia (LMF-UFBA) tem como objetivo introduzir a discussão sobre o mercado financeiro na universidade. O presidente da liga, Tarcísio Rodrigues Oliveira, conta que a partir deste mote foram especificados outros dois objetivos: aproximar os estudantes do meio profissional e impactar a sociedade com educação financeira. A LMF-UFBA surgiu na Faculdade de Economia, em 2017. Foi em abril deste ano que ela passou a funcionar na Eaufba. Atualmente, a Liga está na 17º posição no Desafio Top Gestor do Safra, na frente de equipes de instituições como Insper, FGV e USP.

Liga de Mercado Financeiro da Ufba
(Foto: Divulgação)

8. Rede de Inovação Ponto de Gestão MROSC
Destrinchada, a sigla MROSC significa Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil. É por promover a articulação entre a sociedade civil, o Estado e a universidade em torno de um novo marco regulatório que a rede tem grande importância, aponta a ex-coordenadora, professora doutora Elizabeth Matos Ribeiro. Ela explica que o projeto capacita a população para a implantação do marco. “A ideia do projeto foi criar a rede para capacitar as pessoas para desenvolver competências em gestão pública a partir das ações da sociedade civil”, afirma. Naquele ano, o projeto venceu um edital do Ministério da Educação para financiar e estimular universidades a fazerem extensão.

9. Incubadora Tecnológica
Desenvolver, assessorar e acompanhar tecnologias sociais no campo da economia solidária em diversos territórios empobrecidos é uma das funções da  Incubadora Tecnológica de Economia Solidária e Gestão do Desenvolvimento Territorial da Universidade Federal da Bahia (ITES/UFBA). A Ites elabora e executa projetos destinados a constituição de redes locais de economia solidária como estratégia de promoção do desenvolvimento local de forma sustentável. As intervenções são feitas em contextos territoriais específicos, como um bairro popular, uma comunidade ou um povoado no entorno de pequenos municípios. A Ites já atuou na criação de 20 bancos comunitários e assessorou e acompanhou mais 30 bancos existentes na Bahia, Piauí, Alagoas, Sergipe, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará.

10. Território da Fé
O Centro Interdisciplinar de Desenvolvimento e Gestão Social (Ciags) é parceiro do projeto do Território de Fé – ou Santo. Por ser recente, o nome ainda está em discussão. No projeto, o Ciags oferecerá cursos de mestrado em Desenvolvimento Territorial e Gestão Social e uma extensão para atores da região. A ideia foi motivada pela necessidade de qualificar e melhorar o espaço para acolher turistas com a beatificação de Irmã Dulce. A Coordenadora do Ciags, professora doutora Tânia Fisher, ressalta que é necessário integrar todos pontos de turismo religioso da região. O projeto tem como parceiros: Obras Sociais Irmã Dulce, basílicas da Conceição da Praia e do Bonfim, Capela do Papa, Mosteiro de Coutos, Abav-BA, Senai, Sebrae, Fecomércio, Ucsal, Unifacs, Prefeitura de Salvador e Polícia Militar. Universidades estaduais, governo, guias turísticos e outras paróquias serão convidados.

Professora Tânia Fisher, no projeto Território da Fé
(Foto: Arisson Marinho/CORREIO)

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DE ANIVERSÁRIO
17/09/2019 

Local – Salão Nobre da Reitoria da UFBA
08h30min às 09h00min – Credenciamento
09h00min às 11h30min – Solenidade em homenagem aos 60 anos da Escola

18/09/2019 
Local – Auditório da EAUFBA 
08h30min às 09h00min – Credenciamento
09h00min às 11h30min – Solenidade em homenagem aos 50 anos do curso de Secretariado Executivo

Local – Auditório da EAUFBA 
18h30min às 19h00min – Credenciamento
19h00min às 21h30min – Solenidade em homenagem aos 40 anos da Pós Graduação em Administração

19/09/2019 
Local – Auditório da EAUFBA 
18h30min às 19h00min – Credenciamento
19h00min às 20h00min – Solenidade em homenagem aos 30 anos da Empresa JR ADM UFBA
20h00min às 20h30min – Credenciamento
20h30min às 21h30min – Encontro Amigos ADM UFBA

20/09/2019 
Local – Auditório da EAUFBA 
08h30min às 09h00min – Credenciamento
09h00min às 11h30min – Solenidade em homenagem aos 20 anos do CIAGS

Local – Auditório da EAUFBA 
17h00min às 17h30min – Credenciamento
17h30min às 20h00min – Solenidade em homenagem aos 10 anos do PROGESP

*Com supervisão da chefe de reportagem Perla Ribeiro

Fonte: Correio