O homem que foi preso quando transportava 400 pássaros de forma irregular em um ônibus, na BR-116, pode ser condenado a até um ano de prisão. Walmir Santos Santana, 54 anos, foi preso em flagrante pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), no dia 5 de setembro deste ano, e denunciado pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA).

O MP informou, nesta segunda-feira (16), que os 200 pintassilgos e 200 coleiros estavam em quatro gaiolas no compartimento de bagagens de um ônibus, quando foram encontrados pelos policiais, e que 30 dos animais já estavam mortos devido às condições em que estavam sendo transportados.

Segundo o promotor de Justiça Maurício Foltz Cavalcanti, Walmir assumiu ter capturado os pássaros em municípios do interior paulista para vendê-los em feiras livres, na cidade de Feira de Santana, pelo preço de R$ 35 cada.

Os policiais da PRF pararam o ônibus na KM 677, no município de Jequié, no dia 5 de setembro, uma quinta-feira. O veículo tinha saído de São Paulo e os pássaros foram encontrados durante a revista.

Waldir disse para os agentes que capturou os pássaros em Ibiúna e Caucaia do Alto, no interior paulista, usando redes e armadilhas. O caso foi registrado em um Termo de Constatação de Ocorrência (TCO) por conta da morte, perseguição, caça e venda de espécimes da fauna silvestre e praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais de Lei Ambiental.

Os animais apreendidos foram encaminhados para o escritório do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), em Jequié.

Animais apreendidos em ônibus de turismo (Foto: Divulgação/ PRF)

Ônibus de turismo
No sábado (14), os policiais rodoviários federais resgataram mais seis pássaros silvestres, no mesmo Km 677 da BR 116. Desta vez os animais estavam em um ônibus de turismo que seguia de Presidente Tancredo Neves (BA) para São Paulo (SP), presos em gaiolas, e os donos não tinham autorização ambiental.

Segundo a PRF, os pássaros resgatados são das espécies conhecidas popularmente por trinca-ferro, coleirinho e papa-capim. A polícia rodoviária informou que o responsável pelos animais trabalha como agenciador de viagens da empresa proprietária do ônibus, e que ele não apresentou documentação emitida por órgãos ambientais.

O homem contou para os policiais que adquiriu as aves em cidades do interior da Bahia pelo valor de R$ 600 e que pretendia presentear parentes e amigos. Ele vai responder por crime contra o meio ambiente.

Os pássaros foram encaminhados aos cuidados do INEMA em Jequié (BA), onde as aves são separadas por espécimes e recebem os primeiros cuidados para depois serem devolvidas a natureza. A PRF alerta que as denúncias podem ser realizadas através do telefone 191, que funciona em todo o Brasil. A ligação é gratuita e não é preciso se identificar.

Fonte: Correio