Um português de 21 anos costumava se passar por uma amiga para poder abusar um colega na vila de Castro Verde, em Beja, Portugal. O gajo utilizava esse método para poder ficar com os crushs quando tinha 16 anos, em 2014. Agora, cinco anos depois, a peripécia lhe rendeu uma condenação a quatr anos de prisão.

Para poder estuprar as vítimas, o suspeito criou uma conta falsa no Skype em nome dessa amiga, por quem o colega estava apaixonado. Ao longo de vários meses, o suspeito, fingindo ser a jovem, convidava o rapaz para sua casa. 

Ele dizia que tinha o fetiche de que o adolescente ficasse vendado, com óculos de natação, pintados de preto, e usasse algemas. Assim, a vítima foi várias vezes abusado, pensando que estava praticando “jogos sexuais” com a amiga.

Os abusos só pararam quando o suspeito foi pego ao enviar uma mensagem à vitima se passando pela amiga. Entretanto, a jovem estava ao lado do assediado e nem tinha o celular nas mãos, de acordo com o jornal português Correio da da Manhã.

Os pais da jovem tiveram conhecimento da situação e aconselharam a filha e a vítima a procurar as autoridades.

O suspeito foi condenado a pagar uma indenização de 7.500 euros, cerca de R$ 33.969,23, além de 100 euros mensais, o equivalente a R$ 452,92, ao longo de quatro anos, à vítima. A leitura do acórdão foi esta segunda-feira, no Tribunal de Beja.

Segundo a amiga, houve mais quatro vítimas do suspeito que não chegaram a apresentar queixa. Segundo ela, o rapaz chegou a drogar e a violar as vítimas.

Fonte: Correio