O corpo do adolescente Felipe Cavalcanti Lora, 12 anos, que morreu após cair do 9° andar do Hotel Mercure Salvador Boulevard, no bairro do Caminho das Árvores, em Salvador, na manhã de segunda-feira (23), será enterrado na tarde desta terça-feira (24). O corpo já foi liberado pelo Instituto Médico Legal Nina Rodrigues e será enterrado às 14h, no Cemitério Bosque da Paz.  Segundo as primeiras informações da família passadas para a polícia, o garoto era sonâmbulo e isso pode ter provocado o acidente.

O corpo do adolescente caiu na área da piscina – onde foi analisado por peritos do Departamento de Policia Técnica (DPT) na manhã desta segunda. Apesar de a circunstância do acidente ainda não ter sido esclarecida, peritos disseram que o apartamento onde o garoto estava não tem rede de proteção. 

A Polícia Militar foi acionada por volta das 7h, horário em que, segundo funcionários, ocorreu o acidente. De acordo com as primeiras informações que chegaram à polícia, o adolescente estava hospedado no apartamento do tio. Só estariam os dois dentro do imóvel. Após o episódio, uma unidade do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionada, mas um médico constatou a morte da vítima assim que chegou. 

O hotel divulgou uma nota em que lamenta o fato. “O Mercure Salvador Boulevard lamenta o ocorrido e informa que está prestando o suporte necessário à família e às autoridades. O hotel informa ainda que o edifício é um condo-hotel e o fato ocorreu em uma propriedade privada, não operada pelo hotel”. Os parentes do menino estavam no saguão do hotel, mas não quiseram falar sobre o assunto. A imprensa não tinha autorização para entrar no estabelecimento.

O diretor do DHPP, delegado José Bezerra, disse que, a princípio, o caso está sendo investigado como um acidente decorrente do estado de sonambulismo do garoto. “A família disse que Felipe já apresentou esse tipo de comportamento, o sonambulismo, outras vezes. Essa é a nossa principal hipótese”, declarou o delegado.  

 “O apartamento não tinha rede de proteção, mas todos os exames estão sendo realizados e também serão pedidos complementares. Agora é ouvir todas as pessoas. Já prestaram alguns esclarecimentos a família do menino, o proprietário do apartamento e o responsável pelo hotel”, declarou Bezerra. 

Fonte: Correio