O motorista da Kombi na qual a menina Ágatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, estava quando foi baleada e morta na última sexta-feira (20), no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio de Janeiro, voltou a afirmar que o tiro partiu de um policial militar – e que não havia tiroteio no momento do crime.

“Uma criancinha foi embora por causa da irresponsabilidade do polícia”, afirmou o motorista, que ainda não teve o nome identificado. “Não houve tiroteio.” Ele prestou depoimento por cerca de duas horas e meia na Delegacia de Homicídios da Capital na manhã desta terça-feira (24). Foi o segundo depoimento do condutor.

A Kombi, que foi periciada, permanece estacionada na delegacia. É possível ver a marca da bala no banco traseiro do veículo. No enterro de Ágatha, no domingo (22), o motorista já havia afirmado que a bala partiu da polícia. Essa também é a versão de familiares da menina e de testemunhas.

Fonte: Agencia Brasil