Às vésperas do início do Mundial de Atletismo, que começará na sexta-feira (27) em Doha, no Catar, a IAAF (Associação Internacional das Federações de Atletismo, na sigla em inglês) teve nesta quarta (25), durante o seu congresso, a reeleição do britânico Sebastian Coe, uma das lendas da modalidade, para um segundo mandato de presidente.

No cargo desde 2015, o ex-atleta de 62 anos foi candidato único e recebeu o voto das 203 federações presentes ao Congresso em Doha. Este segundo mandato também tem a duração de quatro anos, até 2023. “É uma honra que tenham confiado em mim e que eu possa colaborar com vocês”, afirmou o reeleito. “Tivemos quatro anos de mudanças, agora é tempo de construir”, completou.

Sebastian Coe é campeão olímpico dos 1.500 metros em Moscou-1980 e Los Angeles-1984. Presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos de Londres-2012 e ex-deputado conservador em seu país, substituiu há quatro anos no comando da IAAF o senegalês Lamine Diack, que presidiu a entidade de 1999 a 2015. Na eleição há quatro anos, o britânico teve como rival o ex-atleta ucraniano Sergey Bubka, que superou por 115 votos contra 92.

Coe teve que enfrentar a falta de credibilidade da IAAF após a “era Diack” e os escândalos provocados pelo doping institucional na Rússia, cuja federação nacional foi suspensa em 2015, uma medida que continua em vigor, como decidiu a entidade máxima do atletismo na última segunda-feira (23).

O dia de eleições na IAAF não começou da melhor forma, após a Unidade para a integridade no organismo (ATU, na sigla em inglês) ter suspendido provisoriamente Ahmad Al Kamali, candidato a vice-presidente e membro desde 2011, por “alegada violação das regras de candidatura e de ética”. A estrutura da entidade é formada pelo presidente, quatro vice-presidentes e 13 membros.

Fonte: Correio