Com o desafio de preencher o espaço deixado pelo Video Show desde janeiro, a Globo estreia na próxima segunda-feira (30) o Se Joga. Sob comando de Fernanda Gentil, Érico Brás e Fabiana Karla, o novo vespertino da emissora vai misturar uma série de referências televisivas, com o intuito de fazer apresentadores e público – tanto o de casa, quanto o da plateia – se jogar nos assuntos que estão bombando no mundo do entretenimento, na vida dos famosos e na programação da emissora.

A atração vai ao ar logo depois do Jornal Hoje, que também na segunda passa a ser apresentado pela jornalista Maju Coutinho. Aliás, há quem diga que o dia será estratégico para Globo, que articulou toda programação para dar suporte à arriscada estreia; além de Maju, será a vez da comentada Éramos Seis, nova novela das 18h.

“Queremos ser um momento alegre, uma excelente companhia para as tardes. Por começar sempre ao vivo, o Se Joga vai falar sobre o que está acontecendo no dia. Aquilo que todo mundo está compartilhando nos grupos de celular, que virou assunto no grupo do trabalho ou que não pode faltar na mesa do almoço. Tem jogos e brincadeiras com plateia, com famosos, e entre eles mesmos. O programa também terá quadros que vão surpreender os próprios apresentadores, que nem eles sabem, só a gente. São surpresas que vão fazer com que eles tenham que se virar ali na hora, ao vivo”, explicou a diretora artística da atração, Daniela Gleiser, em encontro com a imprensa na semana passada.

(Foto: Victor Pollak/ Divulgação)

O Se Joga marca a estreia da jornalista esportiva Fernanda Gentil no entretenimento, e também a estreia dos atores Érico Brás e Fabana Karla na apresentação. Se a junção parece inusitada, os três garantem que a sintonia está em alta nos bastidores. “A gente está disputando quem vai ser o primeiro meme, já tem até bolão”, brinca Fabiana Karla. O fato de o programa ser ao vivo, explicou Fabiana, não intimida. “Eu faço tudo como se estivesse no palco do teatro, ao vivo. Então, não tem muito mistério. É desafiador? É. Posso virar o primeiro meme do programa? Posso. Vou me divertir do mesmo jeito”, brincou.

Para Érico, a grande expectativa é mesmo para a estreia. “Desde que recebi o convite, em junho, até agora, tem uma tensão, um nervosismo, um negócio. Mas tem também uma coisa que a gente traz da carreira, do teatro, que é a estreia. como você ensaia, como você prepara, dá todo o conforto de você chegar em frente à plateia, ao telespectador. Tudo isso tem me dado uma ansiedade que se eu pudesse, a estreia já seria hoje”, resume o baiano.

Fernanda Gentil elenca algumas palavras-chave para sintetizar o tom do programa: leveza, bom humor, diversão, interatividade e aprendizado.“Estamos investindo muito em uma linguagem de rede social, e temos batido muito nessa tecla de que o que você está comentando lá também é assunto aqui. A ideia é trazer o programa para esse lugar de debate, de discussão. Essa interatividade acontece muito pelas redes, mas também com a própria plateia, aqui dentro. Todos os dias, 60 pessoas interagem conosco. Também temos convidados. A gente está se propondo a passar uma hora por dia, todos os dias, com quem assiste a gente, de uma maneira leve, descontraída. A tecnologia é uma aliada nessa comunicação”, explica Fernanda.

Desafios 
A difícil missão de renovar a faixa horária vespertina da Globo, contudo, virá com com a compreensão de que o público está acostumado a alguns formatos, e ao mesmo tempo quer ver coisas diferentes. Por conta disso, a fofoca, ou as famosidades, como preferem chamar, também estarão no programa.

Afinal, são elas as maiores impulsionadoras da concorrência. “Para fofoca, a gente não tem limitação nenhuma. Sendo fofoca, e interessando o público, vai estar aqui. Agora, tem o nosso jeito de fazer isso”, destaca Fernanda Gentil, para quem o grande diferencial do Se Joga é a “humanização” dada aos temas.

“Quando a gente fala do lance de humanizar o programa também passa por isso, pela editoria fofoca, talvez principalmente por isso. A gente está falando de pessoas, muitas delas colegas nossos aqui, e mesmo que não fossem acho que a grande palavra é o respeito. Lógico que vai ser assunto, porque eles próprios podem querer falar com o público, e não dá pra ignorar alguns assuntos. Agora, vai ser muito a medida das coisas no dia a dia. O bom senso é a grande palavra aqui nesse programa“, defende a apresentadora, que nega estar preocupada com a guerra da audiência.

“A gente quer quebrar esse protocolo, não falar de guerra, não falar de concorrência. Eu acho que quem ganha é o telespectador se cada um fizer bem o seu trabalho nesse horário, como em todos os horários da grade de televisão brasileira”, finaliza.

Humor
Serão muitos quadros e brincadeiras se revezando ao longo da semana para trazer informação e diversão de forma leve e descomplicada. O próprio timing dos apresentadores, que têm jogo de cintura comprovado no quesito humor, promete contribuir para o objetivo. “A gente está deixando nosso humor no ponto morto, para ativar os comunicadores. A gente tem um humor particular, natural, que vai sair, que vai vir à tona.  Eu me metia tanto nos programas quando era convidada, que me deram essa oportunidade! [risos]. Acho que a gente está deixando o destaque com os meninos do humor, no lugar certo”, diz Fabiana Karla . 

Marcelo Adnet, Paulo Vieira e Jefferson Schroeder garantirão a dose semanal de humor. Adnet vai trazer paródias e imitações para o palco no The Fake Brasil. “Vou parodiar grandes formatos e apresentadores da TV brasileira e vamos receber imitadores calouros que vão concorrer aqui no palco também. Vou ter o desafio de imitar várias pessoas diferentes da televisão”, completa Adnet. Paulo, por sua vez, brinca com sua própria realidade em esquetes para rir e se identificar em casa no Isso é Muito a Minha Vida. Já Jefferson vai ter o seu próprio programa dentro do programa, como Cida Lamonier, uma dona de casa que sabe um pouco de tudo.

 A cada dia, participações de diferentes celebridades, além de colunistas e humoristas, vão manter o ritmo de novidades . “Levar as coisas leveza é sempre bom. Somos um programa em eterna construção, sempre abertos a novos quadros, novas dinâmicas e novas participações”, diz Daniela Gleiser.

*A repórter viajou a convite da Globo

Fonte: Correio