O técnico Geninho não escondeu a insatisfação com a sua equipe após a derrota do Vitória para o Bragantino, por 2×0, neste domingo (29), fora de casa. Segundo ele, o Leão perdeu chances preciosas de aprontar para cima do líder da Série B.

“É simples: quando você joga contra um time dessa qualidade tem que aproveitar as suas oportunidades. Ainda mais jogando na casa do adversário, o líder do campeonato com sobras e méritos. A gente sabe que não surgiriam muitas chances, mas nós tivemos algumas e não aproveitamos”, disse o comandante rubro-negro à Rádio Metrópole FM.

O técnico também criticou os erros de saída de bola do rubro-negro: “O Bragantino achou muito espaço, principalmente pelos lados. Acho que mais uma vez pecamos em fundamentos importantes, básicos. Como o passe, por exemplo. Erramos muito o passe no meio-campo e perdemos a posse de bola. No mínimo em cinco ou seis chances que eles criaram a bola estava em nossos pés. Isso dá moral ao adversário”.

Geninho tem dois jogos à frente do Vitória: empate em 0x0 com o Atlético-GO, segundo colocado, na terça-feira (24) e uma derrota por 2×0 para o líder Bragantino neste domingo (29). Agora, pega o Sport, terceiro colocado. O duelo será na quinta-feira (3), às 21h30, na Fonte Nova.

O técnico terá uma pressão a mais: o Vitória está de volta à zona de rebaixamento após nove rodadas. Aparece em 18º lugar, com 25 pontos, três atrás do 16º colocado e primeiro fora da zona da degola, o Vila Nova.

“Acho que em termos de resultado é normal (perder para o líder Bragantino). Não é esse resultado que fez a diferença na pontuação do Vitória e colocou a equipe de volta ao Z4. São outros resultados que não vieram. Agora, um jogo como esse que fizemos realmente traz preocupações. A gente precisa fazer ajustes para voltar a vencer”, disse Geninho.

Sobre o próximo duelo, o comandante rubro-negro alerta para a qualidade do Sport: “É um começo difícil (de trabalho). Na quinta temos uma equipe forte e que vem para cima. A dificuldade de todo técnico que pega um trabalho em andamento é encaixar a equipe. Conhecer o elenco e fazer as melhores escolhas. Vamos tentar achar o melhor Vitória. Um time que jogue seguro atrás e que evolua melhor no meio-campo”.

E revelou a sua principal preocupação: “Não estamos tendo trabalho de meio-campo. A bola está passando para o ataque de maneira direta. A gente não trabalha pelo meio e precisamos de mais jogos pelos lados. Mas não teremos muito tempo para ajustar, temos que ir trocando o pneu com o carro andando, vai ser assim, mesmo”.

Fonte: Correio