O Vitória resistiu por quase 80 minutos diante do líder da Série B, mas acabou perdendo para o Bragantino fora de casa, por 2×0, neste domingo (29), pela 25ª rodada da competição.

Agora, a notícia terrível: o Leão acabou a rodada de volta à zona de rebaixamento. É o 18º colocado, com 25 pontos, três pontos atrás do Vila Nova, 16º e primeiro fora do Z4.

A equipe havia entrado na zona após as vitórias do VIla Nova, na sexta-feira (27), por 1×0, sobre o Londrina, e do Criciúma, por 2×0, sobre o Botafogo-SP, no sábado (28). Com a derrota para o Bragantino, seguiu entre os quatro piores.

O rubro-negro estava fora do Z4 desde a 16ª rodada. Foram 13 rodadas afastado do perigo, ou mais de um mês – já que a saída aconteceu no dia 18 de agosto.

Depois de perder para o líder, o Vitória recebe o terceiro colocado Sport, num clássico nordestino. A partida será na quinta-feira (3), na Arena Fonte Nova, às 21h30.

Jogo aberto
Geninho mandou o Vitória a campo da maneira que a torcida quer: dois volantes, Chiquinho como ponta, Gedoz centralizado no meio-campo e Jordy como centroavante.

O detalhe é que o teste dessa ‘equipe ideal’ foi logo contra o líder da competição, já praticamente com um pé na Série A do ano que vem.

A boa notícia é que, apesar disso, o rubro-negro se comportou bem no primeiro tempo. Na defesa, sofreu pressão, intensa, mas resistiu bem. No ataque, assustou o adversário tido como mais qualificado.

A bola ficou mais tempo com o time paulista, que teve maior volume de jogo. O Bragantino acertou o travessão com um minuto, quando Matheus Peixoto aproveitou rebote dentro da área.

O Vitória revidava no contra-ataque. Aos nove, Gedoz puxou a arrancada e lançou Wesley na ponta direita da área. Ele cortou para a perna esquerda e chutou rasteiro; Júlio César salvou.

Foi um jogo aberto. Aos 14, Morato cruzou da direita e Matheus Peixoto furou dentro da área. Aos 19, o Leão revidou em jogada de velocidade com Van pela direita, que cruzou e Wesley cabeceou raspando a trave direita.

O time paulista teve mais duas chances muito claras no primeiro tempo, ambas salvas por Martín Rodríguez. Aos 20, Claudinho aproveitou rebote de escanteio e chutou com efeito, mas o uruguaio fez uma bela ponte.

Aos 40, cruzou da direita. A bola foi no segundo pau, onde Bruno Tubarão cabeceou para baixo, corretamente, mas encontrou o goleiro do Vitória bem posicionado.

Jogo decidido
Se na etapa inicial o Leão ainda conseguiu assustar, no segundo tempo o duelo foi de ataque contra defesa. O Bragantino aumentou a posse de bola e tomou conta do campo de ataque.

O rubro-negro se defendia bem – destaque para Dedé na zaga –, mas tinha dificuldades de sair de trás. Com erros de passe, perdia rapidamente a bola e favorecia a pressão.

Aos sete, Tubarão chutou de fora da área e raspou a trave. Aos 11, Morato tabelou na entrada da área com Barreto e chutou para fora com perigo.

Cedo ou tarde, a pressão do Bragantino surtiria efeito. E veio num lapso de defesa do rubro-negro, com dois gols em um minuto. Aos 33, Ytalo avançou pela direita e cruzou rasteiro. Morato se antecipou na área e fez 1×0.

Aos 34, o Vitória errou na saída de bola. Ytalo foi lançado na direita e chutou na saída de Martín Rodríguez. 2×0.

A única chance criada pelo Vitória veio no fim do segundo tempo, aos 43. Wesley recebeu na área e chutou, mas Júlio César defendeu.

Ao final, o resultado foi o esperado. Mas o retorno à zona de rebaixamento foi a pior notícia para o Leão.

Bragantino 2×0 Vitória – 25ª rodada da Série B

Bragantino: Júlio César; Pio (Wesley), Léo Ortiz, Rayan e Rafael Carioca; Barreto, Uillian Correia e Bruno Tubarão; Claudinho, Matheus Peixoto (Ytalo) e Morato (Robinho). Técnico: Antônio Carlos Zago.

Vitória: Martín Rodríguez; Van, Dedé, Ramon e Capa; Baraka (Léo Gomes), Lucas Cândido e Felipe Gedoz; Chiquinho (Felipe Garcia), Jordy Caicedo (Anselmo Ramon) e Wesley. Técnico: Geninho.

Estádio: Nabi Abi Chedid
Gols: Morato, aos 33, e Ytalo, aos 34 minutos do 2º tempo
Cartões amarelos: Martín Rodríguez, Van e Caicedo (Vitória)

Arbitragem: Wanderson Alves de Sousa, auxiliado por Sidmar dos Santos Meurer e Fernanda Nãndrea Antunes

Fonte: Correio