A cada música, um comando: ficar estátua, engatinhar como um bebê, ou imitar uma galinha eram só alguns exemplos clássicos e conhecidos por gincanistas de carteirinha. Seja o que fosse, o comando ou tarefa era cumprida com toda entrega e energia pelos 200 competidores que participaram da 4ª Gincanex, gincana para ex alunos de escolas de Salvador, realizada pela Gang Entretenimento. A competição integrou as comemorações pelos 40 anos do CORREIO.

Depois de dois dias intensos e cheios dos mais variados desafios, o resultado foi conhecido na tarde deste domingo (24), quando a equipe azul, batizada de “Equipe Equipe”, foi coroada vencedora depois de ganhar em todas as áreas da competição em primeiro lugar. Durante o anúncio, uma quadra lotada de jovens adultos reagia emocionada com gritos e lágrimas. As reações só serviam para demonstrar  o quanto o grupo composto por estudantes universitários e profissionais formados de diversas áreas levava a sério a brincadeira.

Uma das líderes da equipe vencedora, a empresária Ticiana Amorim, 29, é a prova viva de que a brincadeira é para gente grande. Durante o primeiro dia de desafios, que aconteceram pela cidade, a gincanista se machucou e acabou precisando entregar o posto e ficar de molho no domingo. Mas se engana quem pensa que ela ficou de fora  “Cai e tive que abrir mão da liderança, ajudei o dia todo pelo WhatsApp, mas confiar no outro é um exercício diário. Então foi fantástico de todas as formas possíveis. Ver meus melhores amigos, que são como irmãos pra mim, se superando, mostrando seus talentos, garra”, declarou emocionada antes de saber o resultado. 

A jovem, que faz gincana desde os 11, venceu a última edição da Gincanex, realizada em 2017, mas garante que a experiência e a defesa do título não tornam as coisas mais fáceis e nem diminuem a alegria em competir. “Especial sempre! A galera tenta botar uma pressão com isso de que vencemos a última, mas na real toda vez que uma gincana começa de novo você se lembra o quanto é difícil! E que não existe superar o outro é sempre tentar superar a si próprio, suas crenças, medos, limites”, acredita. A líder comenta, ainda, sobre o diferencial dessa edição: a comemoração dos 40 anos do CORREIO, que gerou algumas tarefas diferentes e especiais.

“Gincana temática sempre é muito boa! Trouxe novos desafios, outras formas de abordar as coisas! Eu curti”, elogiou.

A coordenadora de projetos do CORREIO, e uma das responsáveis pela ação, Vanessa Araújo, comemora o resultado da comemoração diferente. “Nunca foi tão divertido comemorar um aniversário. O CORREIO cumpriu a maior de todas as tarefas de gincana: proporcionar dias de muita alegria para todos. Novas amizades foram feitas, novas habilidades foram descobertas e todos que souberam competir pensando no coletivo saíram vitoriosos daqui hoje”, comentou enquanto acompanhava o anúncio dos vencedores. 

Equipe Equipe 

O grupo vencedor, foi uma das quatro equipes formadas por ex-alunos dos colégios onde a Gang Entretenimento realiza gincanas durante o ano. Divididos em quatro equipes os alunos foram misturados por sorteio e tiveram a chance de competir junto com colegas de outras escolas. 

“Eu vim porque tenho amigos de outras escolas e a gente não consegue fazer gincana juntos, Além disso aqui rolam tarefas que não poderiam acontecer nos colégios, têm mais liberdade”, explica a estudante universitária Luisa Calmon, 20, da equipe verde. Batizada de ‘Equipe Campeã’, o grupo ficou com o terceiro lugar da competição. Para completar o pódio, a ‘Equipe Não Precisa Nem Dizer, né? Todo Mundo já sabe’, de cor amarela, foi a segunda colocada. Já o grupo que se batizou de ‘Senta pra descansar’, a equipe vermelha, ficou em quarto lugar.    

No final da competição, as equipes receberam pontos pela atuação em quatro grandes pedaços: CaçaEx – em referência ao clássico caça ao tesouro; EsquadrEx – com missões para serem cuimpridas pela cidade –  e MobilEx – com tarefas passadas pelo WhatsApp. A grande novidade deste ano ficou por conta da Gaiola, tarefa criada especialmente para essa edição da Gincanex. “É uma tarefa nova, que a gente nunca sabe bem o que vai acontecer, mas foi muito divertido, eles se divertiram muito e com coisas simples”, conta Beatriz Neiva, membro da Gang que ficou a frente da novidade.

Todos os participantes juntaram-se para festejar a participação

Na Gaiola, três participantes sorteados a cada novo bloco de tarefas precisavam cumprir comandos simples em um curto espaço de tempo e confinados em uma barraca de camping. A equipe vencedora acabou garantido a vitória em todas as quatro áreas da competição Apenas na Gaiola, compartilhou a vitória com a Equipe Campeã.

Solidariedade 

Além de se divertir e suar, quem participou da Gincanex também teve a chance de ser solidário. É que parte do pagamento da inscrição dos competidores foi revertida como doação para uma instituição beneficente. A CETA – Creche Escola Beneficente Tia Alda, atende crianças filhas de presidiários. “A Gang está sempre com a gente e sempre nos entrega doações de alimentos arrecadados nas gincanas nas escolas. Dessa vez, recebendo em dinheiro vamos poder comprar material para uma reforma na creche”, explica Agostinho Santos, coordenador do projeto. 

Para ele, a parceria com os jovens gincanistas é uma alegria “É saber que o futuro da gente está assegurado, pela união desses jovens que sempre nos apoiam”, diz ele que também foi gincanista na escola. A união, inclusive, é um dos pontos de destaque das gincanas.

“A gincana mostrou, em cada tarefa, o quão é importante a integração em equipe. Temos esse espírito no CORREIO e ver os gincanistas compartilhando desse sentimento foi gratificante dentro das celebrações dos 40 anos do jornal”, comemora Jorge Gauthier, chefe de reportagem do CORREIO e curador da gincana junto com a repórter Naiana Ribeiro.
 

Junto e misturado 
 
Apesar da divisão em times, as rodinhas de conversa dos gincanistas enquanto esperavam pelo resultado era sempre multicolorida. Era impossível encontrar um grupo composto apenas de componentes com a mesma cor de camisa. A mistura, é parte do objetivo da competição. “Ver essa galera animada, e amizades sendo criadas, ver a alegria deles é parte do nosso propósito. O intuito é misturar mesmo”, explica Márcio Gomez, coordenador da Gincanex “Essa gincana a gente faz pra eles, que as vezes vem nos dizer que acharam fácil no colégio. A gente quer que eles saiam daqui tendo se divertido, e conhecido seus limites”, completa o coordenador. 

A sensação de conhecer os limites na diversão é compartilhada por todos os que dedicaram seu fim de semana para batalhar pra garantir todo ponto.

“Numa gincana de ex alunos você tem que dar mais o sangue. Acabou que superou minhas expectativas porque eu pude participar de muita coisa”, explica o estudante de veterinária Guilherme Homem, 23, da equipe vice-campeã.

“Fazer gincana com ex-aluno é ótimo, porque são todos pessoas que já entendem o que tá acontecendo, já se jogam”, completa a estudante de teatro Liz Vernini, da ‘Senta pra descansar’. 

Para o estudante Pyetro Queiroz, 19, o desafio foi um pouco maior. Ele foi um dos líderes da equipe verde, e diz que a experiência valeu a pena. “É aprender a lidar com desafios, com pessoas diferentes, Foi muito bom. Gincana faz a gente crescer”, acredita o estudante. “É um momento de muita responsabilidade. De a conhecer novos limites e saber que a gente é capaz de coisas que nem sabia”, completa o analista de comunicação Melvyn Caires, 25, líder da equipe vencedora.

Quem sai da maratona já com saudades, a Gang promete surpresas. “A gente sai daqui mirabolando coisas para a próxima edição”, conta Romero Ribeiro, responsável pela Gang Entretenimento. A Gincanex acontece de dois em dois anos e tem a sua próxima edição garantida para 2021 “Vai ser um ano especial para gente que completa 30 anos. Com certeza vem novidade por aí”, finaliza.

O projeto Correio 40 Anos tem oferecimento do Bradesco, patrocínio do Hapvida e Sotero Ambiental, apoio institucional da Prefeitura de Salvador, e apoio de Vinci Airports, Senai, Salvador Shopping, Unijorge, Claro, Itaipava Arena Fonte Nova, Sebrae e Santa Casa da Bahia.
 

Fonte: Correio