Pouco tempo após a empresa Uber implementar a possibilidade de pagamento com dinheiro, em 2016, o motorista Paulo Marcelo Martins Reis, 48 anos, foi vítima de um assalto com um desfecho inusitado.

O ladrão lhe deu cinco estrelas e ainda escreveu um comentário no aplicativo sobre a corrida em que roubou Reis: “Valeu, supera esse assalto que tu é gente boa”, afirmou o assaltante. 

Reis afirmou que o ladrão chegou bem vestido, embarcou na região da avenida Paulista (centro) em uma corrida para o Ipiranga (zona sul). Durante o trajeto, ele sacou uma arma e anunciou o assalto. “Ele queria dinheiro, mas era minha primeira viagem do dia. Aí, ele levou dois celulares”, diz.

Desde então, o motorista se previne contra eventuais roubos trocando mensagens em grupos de aplicativos. “Usamos códigos e, durante as corridas, colegas nos monitoram. Se em dez minutos não dermos sinal, a polícia deverá ser acionada pelo colega”, afirma.

Fonte: Agencia Brasil