Eliminar o Boca Juniors na Libertadores tem virado rotina para o River Plate nos anos recentes e, nesta terça-feira (1º), o time deu um passo firme para repetir a façanha: venceu o maior clássico do futebol argentino por 2×0, no Monumental de Núñez, no jogo de ida da semifinal.

River e Boca se cruzaram em três mata-matas da Libertadores neste século. O River levou a melhor na final de 2018 e nas oitavas de 2015, quando também acabou campeão. O Boca se deu bem na semifinal de 2004 – e perdeu do Once Caldas na final.

Dessa vez, a missão do River ganhou corpo no início do jogo, quando aos 4 minutos o árbitro brasileiro Raphael Claus consultou o VAR e marcou pênalti de Más em Borré. O atacante colombiano bateu no meio do gol e fez 1×0.

O Boca equilibrou as ações e poderia ter empatado aos 42 minutos, na chance mais clara da partida até então. Ábila carregou, protegeu de Casco e rolou para Capaldo, livre na área, chutar por cima do gol. 

A punição do Boca veio no segundo tempo, quando o River Plate tomou conta da partida e teve chance até de golear. Mas fez apenas mais um.  Ignacio Fernández tabelou com Suárez e apareceu na área para antecipar à zaga e concluir o cruzamento.

Capaldo, além de perder o gol incrível, ainda seria expulso nos acréscimos após falta em Enzo Pérez e será desfalque no clássico de volta, dia 22, na Bombonera, também em Buenos Aires. O Boca precisa vencer por três gols de diferença. Como o gol fora de casa é critério de desempate, o River avança em caso de derrota por 3×1 e 4×2, por exemplo.

Grêmio x Flamengo
A outra semifinal, totalmente brasileira, começa quarta-feira (2). Às 21h30, Grêmio e Flamengo se enfrentam na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. O jogo de volta será dia 23, no Maracanã, no Rio de Janeiro.

Fonte: Correio