Ainda que muita gente não tenha conseguido realizar o sonho da casa própria ou vencer a quitação do financiamento do carro, existe um patrimônio que vale mais que ouro para as empresas: seus dados pessoais. Informações como nome, CPF, endereço, e-mail, telefone e até os perfis em redes sociais se valorizam no mercado, e muito mais do que se imagina. E esses dados custam caro e valem até pedido de resgate. 

De acordo com informações do laboratório especializado em segurança digital da PSafe, o Dfndr Lab, só este ano foram detectados até o momento 83.370.237 golpes de roubos de dados. Ainda segundo a empresa que desenvolve aplicativos de segurança, no ano passado, foram, ao todo, 226.882.377 acessos.

O cenário só reforça a necessidade de preservar estas informações. Com previsão para entrar em vigor em agosto de 2020, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) chega não só tratar o dado como um bem, mas, principalmente, regulamentar sua utilização pelas empresas que, agora, deverão dizer ao consumidor onde, quando, como e por quê aquela determinada informação que ele preenche em uma ficha cadastral, por exemplo, será utilizada. Se antes as empresas usavam estes dados como bem entendiam, com as novas regras vai caber ao cliente decidir se quer compartilhar ou não tudo que permite a sua identificação. 

Os desafios para as empresas se adaptarem à nova lei e as questões ligadas às mudanças que chegam com a regulamentação da proteção de dados do consumidor é um dos temas que serão debatidos durante a 10ª edição do Fórum Agenda Bahia, que acontece depois de amanhã, (3/10), a partir das 9h, no Senai Cimatec, em Piatã. 

As inscrições são gratuitas, mas têm vagas limitadas e podem ser feitas pelo endereço eletrônico bit.ly/forumagendabahia. O painel Do Robô ao Roubo de Dados: As Novidades na Educação, na Agropecuária, na Construção Civil e na Saúde acontece na parte da tarde, às 14h30 e integra as atividades da Arena da Vivência. Participam da apresentação, o CEO da Abitat, Silas Cunha, a sócia da Hackel, Ana Carolina Monteiro, o  CEO do E-rural,Matheus Ladeia,  e sócio da REP Educa, Vicente Vale. 

“Os dados hoje são considerados o principal ativo. A LGPD está em pauta na Hackel porque trabalhamos com chatbots e IOT – ambos captando dados para melhorar a performance de negócios. Ou seja, a adequação à lei já deve estar incorporada nas estratégias. Além disso, como consultoria, temos a obrigação de alertar os nossos clientes em relação à segurança dos dados dos consumidores que serão mantidos nos seus bancos de dados”, destaca a sócia da Hackel, Ana Carolina Monteiro.

Na prática

Em um mundo onde informações cada vez mais específicas sobre o potencial de consumo  são decisivas para efetivar uma compra, as empresas que estão se sustentando em base digital tem aí um grande desafio, como pontua o CEO do E-Rural, Matheus Ladeia. O maior marketplace de pecuária do Brasil é um dos negócios que estão desenvolvendo estratégias para se adequar às mudanças. “No nosso caso, o que a gente tem feito para se adaptar é justamente isso: mostrar a parceiros como ativar informações pessoais para levar o produto ou serviço dele até o potencial adquirente, deixando tudo isso muito claro para os usuários”, afirma. 

Para o CEO da Abitat, Silas Cunha, a reputação das empresas também está em jogo. A Construtech busca a gestão mais eficiente de empreendimentos através de IoT (Internet das Coisas), Banco de dados e Machine Learning. “Startups que trabalham com Big Data, que é o caso da Abitat, precisarão ter atenção redobrada. Obrigatoriamente elas precisarão de uma autorização do usuário para coleta de dados. As empresas deverão garantir a segurança dos dados pessoais dos quais têm posse. Empreendedores devem realizar alterações nos seus procedimentos internos para se adequarem à lei”, diz.

Sócio da REP Educa, Vicente Vale, concorda. A plataforma digital utiliza Realidade Aumentada e Inteligência Artificial para ampliar a aprendizagem dos alunos. “LGPD é algo necessário e sem volta. Os dados geram informação e quem tem a informação tem o poder. A estratégia é usufruir das sugestões e exigências da Lei para estruturar e utilizar isso como diferencial para o seu cliente, gerando credibilidade, seriedade e profissionalismo no serviço/produto ofertado”, defende.

Transparência

O dado é seu e ninguém tira. Além de ter a liberdade de decidir o que será o não compartilhado, o consumidor, pode, inclusive, solicitar todo seu conteúdo, ou até mesmo sua remoção. Segundo a advogada especialista em Direito Digital e aspectos legais da Segurança da Informação, Ana Paula Moraes, a lei concede um empoderamento ao consumidor.  

“Diante do cenário mundial, onde o dado pessoal é  a moeda de mercado mais valiosa, o consumidor passará por uma mudança de cultura sobre o uso de suas informações pessoais por terceiros. Até a presente data o mercado empresarial utiliza os dados dos usuários de forma indiscriminada”, diz.

Não cumprir a estas determinações passa a ser crime de violação de privacidade. Assim, a LGPD se aplica a qualquer operação de tratamento de dados pessoais realizada por pessoa física ou jurídica de direito público ou privado, conforme aponta ainda a advogada. “Todas as empresas deverão cumprir todos esses princípios. Sendo a proteção de dados essencial para a existência de um convívio digno em uma sociedade, devendo ser respeitado a pessoa humana, podemos afirmar que a LGPD vem para garantir a preservação dos direitos fundamentais dos cidadãos”, reforça.

Na hora de se prevenir contra este roubo de dados e o vazamento destas informações, a dica é não só usar ferramentas de proteção em seu celular e computador pessoal, mas, sobretudo, não fornecer dados pessoais a sites que de  procedência desconhecida, como acrescenta o diretor do Dfndr Lab, Emilio Simoni. “Com consentimento ou não, utilize senhas únicas por serviço e de difícil dedução, não compartilhe senhas e evite  o acesso a serviços sensíveis, como sites bancários, em redes Wi-Fi públicas sem a proteção de uma VPN”, aconselha o especialista. 

O Fórum Agenda Bahia 2019 é uma realização do CORREIO, com patrocínio da Sotero Ambiental, apoio institucional da Prefeitura de Salvador, Federação das Indústrias da Bahia (Fieb) e Rede Bahia e apoio da Braskem e DD Education. 

OS CINCO ÚLTIMOS GOLPES

1. Golpe da falsa promoção do O Boticário 5.931.759 de acessos e compartilhamentos

2. Golpe da falsa vaga de emprego 1.694.519 de acessos e compartilhamentos

3. Golpe do FGTS 258.810 mil acessos e compartilhamentos  

4. Clonagem de WhatsApp  8,5 milhões de brasileiros já foram vítimas de clonagem de WhatsApp. Somente no primeiro semestre do ano foram mais de 134 mil tentativas de roubo. 

5. Roubo de identidade 1 em cada 5 brasileiros já foi vítima de roubo de identidade, o que representa 24,2 milhões de potenciais vítimas em todo o país. 

ENTENDA A LEI GERAL DE PROTEÇÃO DE DADOS

O que é É a Lei que determina a regulamentação para as empresas públicas e privadas, do mundo online e offline, sobre a forma que devem realizar a coleta e o tratamento dos dados pessoais dos usuários. 

Quando entra em vigor?  A partir de agosto de 2020. 

Principais pontos   Com a lei, as empresas precisam informar: a) porque precisam coletar e tratar os dados; b) por quanto tempo ocorrerá a coleta e tratamento; c) se haverá compartilhamento destes dados e com quem.

Como isso afeta o consumidor?  Quanto ao consumidor, a lei concedeu ao mesmo tempo um empoderamento, na medida em que se ele não autorizar a coleta e o tratamento, a empresa não poderá coletar e tratar os dados, além disso, ao consumidor foi dado o direito de solicitar a alteração das suas informações e até mesmo excluí-la do banco de dados da empresa.

Penalidades  Advertência; suspensão parcial do banco do dados; Suspensão do banco de dados; Proibição de exercício das atividades relacionadas ao banco de dados por 6 meses em caso de reincidência, multa de 2% do faturamento da empresa, considerado a declaração do Imposto de Renda da pessoa jurídica e multa de até R$ 50 milhões.  

SEMINÁRIO [A.R] EVOLUÇÃO – 03 de outubro

MANHà
ARENA DO CONHECIMENTO

08h00 às 9h00   – Credenciamento

09h00 às 09h30   – Palestra “Tudo muda o tempo todo”, com Peter Kronstrom, head para América Latina do Copenhagen Institute for Future 
Studies e fundador do Future Lounge

09h30 às 10h00  – Bate-papo com Peter 
Kronstrom moderado por Flavia Oliveira, colunista do jornal O Globo e da Globonews

10h00 às 10h30  – Palestra “O Futuro é agora: como o empoderamento digital transforma vidas e cidades”, com Rodrigo Baggio, presidente da Recode, organização social presente em 8 países e 689 centros de empoderamento digital

10h30 às 11h00  – Bate-papo com Rodrigo Baggio moderado por Flavia Oliveira, colunista do jornal O Globo e da Globonews

11h00 às 12h00  – Painel “Distopia ou disrupção: como se preparar para o amanhã?”, com os palestrantes Peter Kronstrom e Rodrigo Baggio e moderação de Flavia Oliveira.

12h   – Intervalo para almoço

TARDE
ARENA DA VIVÊNCIA

14h30 às 16h00  – Painel “Do robô ao roubo de dados: as novidades na Educação, na Agropecuária, na Construção Civil e na Saúde”, com Silas Cunha, CEO da Abitat, startup Construtech que busca a gestão mais eficiente de empreendimentos através de IoT (Internet das Coisas), Banco de dados e Machine Learning, Ana Carolina Monteiro, sócia da Hackel, consultoria em Marketing Conversacional e soluções em Educação que trabalha com tecnologias de automação e inteligência artificial. como Internet das Coisas e Chatbots, Matheus Ladeia, CEO do E-rural, o maior marketplace de pecuária do Brasil e especialista em agtech, growrth strategi e growth marketing e Vicente Vale, sócio da REP Educa, plataforma digital que utiliza Realidade Aumentada e Inteligência Artificial para ampliar a aprendizagem dos alunos.

14h30 às 16h00 – Oficina “Como programar um robô com sentimentos”, com Peterson Lobato, fundador da Mini Maker Lab e professor na área de robótica, programação e impressão 3D.

14h30 às 16h00  – Oficina “Circuito de Experiências em tecnologias para Educação e para Indústria”, com Fernanda Mikulski Guedes, coordenadora de ações de avaliação educacional, inovação e competições da Escola Técnica Senai-BA e Igor Nogueira Oliveira Dantas, coordenador de projetos de inovação educacional na unidade de Inovação e Tecnologias Educacionais do Senai-BA, Adalício Neto, especialista em Automação no SENAI CIMATEC e responsável pelo portfólio de serviços 4.0.

14h30 às 16h00  – Os desafios do Bitcoin no Brasil, com Thiago Avancinni, diretor de Educação e Tecnologia da DD Corporation

16h00 às 17h00  – Desafio “Fórum Agenda Bahia/Olimpíada Brasileira de Robótica”, uma parceria jornal Correio e Sesi. 

SAIBA COMO PARTICIPAR GRATUITAMENTE

O quê  O Agenda Bahia chega aos 10 anos promovendo discussões sobre inovação, competitividade, qualificação e sustentabilidade.

Onde  No Senai Cimatec, na Avenida Orlando Gomes, dia 3 de outubro, entre 9 e 18 horas

Inscrições  Inscreva-se grátis no endereço bit.ly/forumagendabahia

Fonte: Correio