A cidade de Santo Amaro, no Recôncavo baiano, vive um surto de sarampo. Até segunda-feira (1) já havia sido confirmados sete casos da doença no município. Por conta das notificações, a Diretoria de Vigiiancia Epidemiologica do Estado (Divep), órgão da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) emitiu um alerta epidemiológico. De acordo com o documento, das sete pessoas confirmadas com a doença, seis (85,7%) não eram vacinadas e uma não tinha completado o ciclo de vacinação contra o sarampo. A faixa etaria dos casos varia entre 9 meses a 26 anos de idade.

Apesar das pessoas notificadas residirem em Santo Amaro, as primeiras ocorrências foram feitas pelos municipios de Itagiba, onde a doença acometeu um bebê de 9 meses e sua mãe, de 18 anos. Já em Feira de Santana foi registrado um caso em um homem de 26 anos.

A Sesab informou ainda no documento que, durante a investigagao epidemiologica de campo realizada no último dia 30 de setembro pelas equipes de vigiiancia municipal e estadual, foram identificados novos casos suspeitos, totalizando 14 casos notificados de sarampo em Feira de Santana, sendo que sete deles  já foram confirmados e outros sete estão sendo investigados. 

O documento aponta ainda que “todos os casos notificados possuem vínculo epidemiológico entre si e se concentram em grupo populacional de migrantes nao vacinados, em sua maioria, o que potencializa o risco de disseminagao do vírus do sarampo no estado”.

Outra preocupação que é ponderada no alerta epidemiológico é que foi relatado pelos entrevistados o deslocamento para outros municipios da Bahia durante o período de transmissibilidade da doença. Entre as cidades visitadas pelas pessoas com a doença estão: Bom Jesus da Lapa, Feira de Santana, Gandu, Ipiau, Itagiba, Itubera, Salvador, Santo Antonio de Jesus, São
Francisco do Conde e Simões Filho. Há relatos ainda de deslocamento para o estado de Minas Gerais, no entanto, não foram informadas as cidades.

“A Sesab alerta para o risco da ocorrencia de novos casos associados a esse surto, inclusive em outros municípios baianos, o que torna essencial a manutenção de uma vigilância ativa para detenção oportuna de casos suspeitos, a intensificação da vacinação de rotina e a realização da Campanha Nacional de
Vacinação contra o sarampo”.

A campanha está agendada para acontecer em duas etapas de 7 a 25 de outubro para crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade; e de 18 a 30 de novembro no grupo de 20 a 29 anos.
 

Fonte: Correio