De shortinho e peitos cobertos só com glitter dourado, Bianca Santos, 20 anos, era uma das personagens que mais chamava a atenção no Carnaval que tomou conta da Boa Vista de São Caetano, na tarde deste domingo (6). Nascida e criada no bairro, a garota de programa desfilava glamour em cima de um caminhão estacionado no meio do tradicional arrastão que acontece há mais de dez anos, com mulheres, crianças e homens vestidos com roupas femininas.

Sem o menor pudor, Bianca mostrava seu corpo para quem quisesse olhar. Mas, quando um vizinho apareceu cheio de graça querendo tocar, deu um tapa na mão do rapaz e impôs limite à molecagem: “Me respeite, oxe”. Questionada sobre o assédio durante a folia fora de época, a garota mudou o semblante e sorriu, dizendo que “acha ótimo, porque valoriza”. Amiga de infância, a maquiadora trans Havachs Lessa, 19, concordou e disse que sua sexualidade é muito respeitada no bairro.

“Se aqui no bairro tem 50 mil pessoas, 40 mil me conhecem e respeitam. E o bom dessa festa é a comunicação entre todos. O bairro pode ser violento, mas aqui até os problemas vão embora”, aprovou Havachs. Logo em seguida, foi interrompida pela amiga que tentou levantar sua blusa, já que não queria ficar de topless sozinha. “Não, menina. ‘Xô’ ficar bêbada primeiro”, riu a maquiadora.

Bianca Santos chamou a atenção com seu topless (Foto: Marina Silva/CORREIO)

Nesse clima descontraído, os moradores seguiram da entrada da Formiga até o final de linha de Boa Vista de São Caetano. Bastava passar o olho para ver blocos de prisioneiras, de Marias Chuteiras, homens com chifre de corno, mulheres cheias de brilho e meninos vestidos de bailarina. Questionado por que escolheu usar saia, o pequeno Caio, 6, não soube responder, apenas deu de ombros e apontou para o pai, vestido igual.

“Ele está com vergonha de dizer, mas foi arte do pai”, riu a mãe de Caio, a dona de casa Brena Diniz, 25, que todo ano participa do “arrastão da alegria”, como carinhosamente chama. Mesmo grávida de seis meses, Brena garantiu presença na festa. “Antigamente, aqui era muito violento. Mas hoje, se alguém procurar graça, não vai achar”, garantiu. “Ver os caras fantasiados é o mais divertido”, completou rindo.

Passando por sua frente, estava o barbeiro Geovane Jesus, 41, desfilando de top, saia colorida, passadeira e unhas pintadas de vermelho. Um dos integrantes do bloco As Intrusas, Geovane escolheu o figurino com a esposa para marcar sua participação. “É uma festa que a gente gosta de curtir. Moro aqui há onze anos, cheguei do zero e hoje abraço todo mundo. Através do Barca, conquistamos nossa torcida”, agradece Geovane, que é um dos diretores do Barca, time de futebol do bairro.

E teve até gente que saiu da Itália só para não perder o Carnaval fora de época. É o caso da cabeleireira Sabrina Lima, 35, que nasceu em Boa Vista de São Caetano e tirou férias do país onde mora há 12 anos, com o marido italiano, só para rever a família e os amigos. Miss Bahia 2008, Sabrina justificou sua decisão enquanto retocava a maquiagem no meio da multidão para ficar “plena”. “Aqui é meu bairro. Moro fora, mas faço questão de prestigiar. É uma festa de respeito”, garantiu.

Fonte: Correio