O Portal O Tempo começa, nesta segunda-feira (7), uma nova jornada. Uma expedição pelo interior de Minas Gerais, mais precisamente, pela região atingida pelos rejeitos decorrentes do rompimento da barragem de Fundão, em Mariana, em novembro de 2015. O desastre provocou a morte de 19 pessoas e uma série de impactos nos municípios mineiros e capixabas por onde os rejeitos passaram.

Preparamos uma web série, com 10 episódios, para mostrar as ações de reparação e compensação dos danos provocados em Minas Gerais, quase quatro anos depois. Os “Capítulos do Rio Doce” mostrarão, nesta nova fase, o trabalho da Fundação Renova e de seus 7 mil colaboradores e parceiros envolvidos.

Visitamos Mariana, Governador Valadares, Tumiritinga, Itambacuri e Aimorés. Foram quase 1.500 km rodados para contar histórias de recomeço, como a do seu José do Nascimento de Jesus, o Zezinho do Bento, que aguarda a construção do reassentamento de Bento Rodrigues, um dos três distritos impactados pelos rejeitos.


A web série “Capítulos do Rio Doce” vai mostrar como estão as obras do reassentamento de Bento Rodrigues, um dos três atingidos pelo desastre, em Mariana.
Foto: Diego Luís

“A alegria será maior quando cada um tiver a sua chave na mão, entrando pra dormir, pra levantar no outro dia. Este vai ser o melhor sentimento da vida”, conta ele.

Outro personagem importante é o seu Waldir Pollack, que mesmo tendo a parte da propriedade atingida pelos rejeitos, em Paracatu de Baixo, não desistiu e com assistência técnica oferecida pela Fundação Renova voltou a produzir.

“Esse processo eu acho bom porque ele está me ajudando nessa retomada. Eles vieram aqui, fizeram o diagnóstico da propriedade, um desenho, um planejamento e tudo isso está caminhando”, conta Waldir.

Tem ainda a recuperação e restauração de obras sacras e objetos encontrados em meio ao desastre. Nossa expedição também acompanhou o monitoramento da qualidade da água, ao longo dos cursos d’água impactados pelo rompimento da barragem de Fundão. São mais de 90 pontos em Minas Gerais e no Espírito Santo. Visitamos as obras da nova adutora que abastecerá Governador Valadares e vimos de perto o trabalho de recuperação de nascentes e a restauração florestal da bacia do Rio Doce feito em parceria com o Instituto Terra.


O repórter Bruno Faustino percorreu 1.500 km em Minas Gerais para mostrar as ações de reparação/compensação do rompimento da barragem de Fundão, em novembro de 2015.
Foto: Bruno Faustino 

Por fim, nos últimos capítulos da nossa web série, vamos mostrar o empreendedorismo que transformou antigos pescadores do Rio Doce em piscicultores e o trabalho realizado pela juventude para o melhor desenvolvimento do futuro do rio que corta suas comunidades.

Um trabalho incrível e imperdível. Espero que você curta, assim como nós, o recomeço de uma nova história do Rio Doce.

Fonte: Agencia Brasil