A noite tão esperada das seletivas de bairro do Afro Fashion Day finalmente aconteceu. Na noite desta sexta-feira (11), foram conhecidos os seis vencedores que desfilarão na passarela do principal evento de moda afro da Bahia no próximo mês. A decisão aconteceu no Teatro Eva Herz, no Salvador Shopping, e contou com 30 jovens negros desfilando no palco. 

Para o curador das seletivas, Fagner Bispo, o balanço de todo o processo foi bastante positivo, principalmente pelo impacto  na vida dos modelos: “Além de trabalhar a auto estima deles, que é uma parte importante do processo do evento, é dar oportunidade para eles ingressarem no mercado de trabalho”, disse.  

Antes das atrações principais desfilarem, a relações públicas Rafaela Pinto comandou um bate-papo com as influenciadoras digitais Bell Rocha, Jane Passos e Nanai Costa. Temas como moda, beleza e aceitação da beleza negra foram debatidos pelo quarteto, com interação do público .

Rafaela Pinto e Najara Black
(Foto: Betto Jr./CORREIO)

Para Bell Rocha, debater essas temáticas no palco e na internet é extremamente importante, principalmente na formação dos jovens: “Acho incrível, se existisse uma rede social que debatesse temáticas como essa há um tempo atrás eu não teria passado por certas coisas e gostaria mais de quem eu sou ”, contou Bell, que já experimentou desfilar no evento em 2016.

(Foto: Betto Jr./CORREIO)

E quando chegou o grande momento, restou apenas respirar fundo, manter a concentração e impressionar o júri e à plateia, que lotou o espaço. O desfile começou com uma apresentação geral dos 30 modelos, seguidos dos desfiles individuais feminino e masculino. 

Depois de quase mil inscrições desde a primeira fase, o sentimento de Thainá Monteiro não podia ser outro. Aos 19 anos, a modelo  da Caixa D´água alcançou o primeiro lugar entre as mulheres e falou sobre o processo de passar cada etapa e garantir vaga no desfile profissional do Afro. “O Afro é um evento que representa minha beleza, meu povo. Em casa, com salto, eu treinava para manter a postura e assisti às outras edições do desfile e das seletivas. Via as referências para chegar aqui”, afirmou. 

E quem viu Thainá vencer hoje pode relembrar a emoção que é estar nessas seletivas, como foram os casos de Luciana Dantas, vencedora de 2017, e de Lidiane Oliveira que levou posto mais alto no ano passado e entregou a premiação. “Fico feliz por estar aqui novamente e ver outras pessoas terem oportunidade de participar do concurso”, disse  Luciana, acrescentando que sua vitória foi ainda mais significativa,  por  ser uma “modelo negra e plus size”.  

Completaram o time de vencedoras  Ingrid Ramos, 17 anos, e Rute Batista, de 22, respectivamente segundo e terceiro lugar. “Para mim a sensação vai além de ter representado em um desfile, é algo pessoal, que mexe com meu interior. Chegar até aqui é título que agora tenho como profissional, mas principalmente para o pessoal.  O Afro Fashion Day mudou minha visão sobre quem eu sou como negra, como mulher empoderada e que resiste”, reforçou Rute.

No time masculino, o grande vencedor das seletivas foi Nicolas Ribeiro, também de 17 anos. Luís Eduardo Rocha, 23, e Antônio Carlos Lima, 25, fecharam o time que vai, em novembro, ocupar a passarela do Afro junto com os modelos profissionais. 
Bastante aliviado, Antônio lembrou do processo que passou durante os meses de seleção, das aulas que assistiu e das dicas que escutou: “É muito gratificantes, foram várias seletivas e a minha foi a que teve mais gente participando. Eu tô sem chão”, exclamou.

O júri foi formado por Linda Bezerra (editora-chefe do jornal CORREIO), Luciana Gomes  (gerente comercial  do jornal), Fagner Bispo (curador), Cláudio Colavolpe (empresário e fotógrafo), Dany Brugni (modelo e empresária), Renato Carneiro (estilista), Kal Nascimento (beauty artist) e Phaedra Brasil (consultora de moda do Senac Bahia).

*Com orientação da editora Ana Cristina Pereira

Fonte: Correio