Sinergia perfeita: juntos, feijão e arroz forma a dupla ideal de carboidrato e proteína (foto/divulgação)

Pode parecer humilde, mas feijão e arroz dá uma liga perfeita. E não só porque é uma das dobradinhas preferidas do paladar dos brasileiros, mas também porque, juntos, esses grãos formam uma dupla inseparável de carboidrato e proteína, fornecendo um aminoácido (triptofano) que aumenta a produção do hormônio do bem-estar (serotonina). Enquanto o feijão é rico em lisina, por exemplo, o arroz é fonte de metionina.

O nome disso é sinergia alimentar, que acontece quando a combinação de certos alimentos potencializa a absorção de nutrientes. “A sinergia alimentar acontece quando os nutrientes de alimentos combinados são absorvidos ao mesmo tempo e circulam simultaneamente em nível celular”, explica a nutricionista Aline Souza. Quando alguém decidiu um dia acrescentar rodelas de laranja ou limão à feijoada incrementou ainda mais essa alquimia. É que a vitamina C potencializa a absorção do ferro presente no feijão. 

O mesmo acontece com o clássico da sobremesa mineira: uma fatia de queijo e outra de goiabada. Nada melhor que equilibrar o índice glicêmico de um doce incluindo proteínas. “Isso evita a hipoglicemia”, ensina a médica. 

Estudos defendem que outra dobradinha vitoriosa é a de tomate com folhosas verdes-escuro, como o brócolis ou espinafre. No livro Sinergia Alimentar, a nutricionista americana Elaine Magee diz que juntos o tomate e o brócolis podem ajudar a combater o câncer: “Os compostos sulfurosos do brócolis ativam enzimas do organismo que decompõem carcinógenos. O licopeno, que dá cor ao tomate, pode prevenir o surgimento de certos cânceres, principalmente os de próstata, pulmão e estômago. Comidos juntos, vemos um efeito aditivo de sinergia alimentar”.

Comum na culinária mexicana, a combinação de tomate com abacate é sucesso porque tem o poder de prevenir o envelhecimento. “Segundo estudos em universidades americanas, a gordura saudável do abacate aumenta em até 10% a absorção dos carotenóides, entre eles o licopeno, presentes nos vegetais vermelhos, como por exemplo, o tomate. E nosso organismo só tem a ganhar com isso”, explica Aline.

A combinação de tomate com folhosas verde-escuro ajuda a combater o câncer (foto/divulgação)

Outra mistura pouco usual na mesa brasileira, mas que dá muito certo, é carne com abacaxi (grelhado ou cru, a depender do gosto do freguês). É que o abacaxi oferece uma enzima muito importante na digestão de carnes, a bromelina, que reduz aquela sensação de estômago pesado.

Para finalizar, precisamos rever nossa relação com o azeite de oliva: a gordura ajuda a reter os nutrientes dos alimentos frescos. Ela é essencial, por exemplo, para a absorção do licopeno e dos carotenos alfa e beta presentes na cenoura e abóbora, por exemplo. Nessa sinergia existe uma absorção muito maior dos carotenóides que combatem o câncer e protegem o coração.

Pequenos erros que atrapalham a dieta no dia a dia

Comer sementes de linhaça inteiras: as sementes de linhaça são ricas em ômega-3, fibras e lignanas (antioxidantes). Além disso, são um laxante natural, usado para combater prisão de ventre. Muita gente tem o hábito de comer linhaça no café da manhã, acompanhada de iogurte ou cereal. Mas as sementes acabam chegando ao intestino inteiras, sem ser digeridas. Assim, a recomendação é comer linhaça triturada ou em pó para facilitar a absorção dos nutrientes.

Tomar bebidas energéticas após exercício: as bebidas energéticas contêm altos níveis de açúcar e sais minerais e são indicadas para repor os líquidos e eletrólitos perdidos por meio do suor durante atividade física. Mas, de acordo com a nutricionista, não há necessidade de tomar esse tipo de bebida após a prática de um exercício, a menos que se tenha feito um esforço excepcional, como correr uma maratona. Se você fez menos de uma hora de exercício, não precisa tomar nenhum repositor energético. O que os nutricionistas recomendam é se reidratadar bebendo bastante água.

Outro equívoco é acreditar que consome alimentos probióticos porque toma iogurte. Um dos maiores benefícios do iogurte, leite fermentado, é seu alto teor probiótico, que ajuda a manter a saúde da flora intestinal. Mas se o iogurte é pasteurizado ou esterilizado, perde os microorganismos vivos que deveriam permanecer ativos no nosso intestino. Assim, passa a ser um produto lácteo, que contém cálcio, vitaminas e proteínas, como o leite, mas não possui propriedade probiótica. Tomar iogurte pasteurizado é nutricionalmente equivalente a beber um copo de leite. Mas, veja, dá para fazer iogurte em casa de boa e se livrar dos industrializados.

Querido de muita gente, café com leite não combinam bem (foto/divulgação)

Sinergia reversa

Leite com chocolate: O leite reduz a absorção dos flavonoides do cacau.

Café com leite:   A cafeína inibe a absorção do cálcio.

Alimentos ricos em magnésio e refrigerantes:  Quando combinado ao fosfato o magnésio pode causar artrite, pressão alta e diabetes.

Cheeseburger:  O cálcio do queijo atrapalha a absorção do ferro da carne.

Fonte: Correio