O Bahia vacilou. Depois de abrir o placar com gol de pênalti anotado por Fernandão aos 20 minutos do segundo tempo e ainda ganhar de brinde um jogador do Cruzeiro expulso no lance, o tricolor não aguentou sequer 10 minutos com a vantagem no marcador e sofreu o empate de 1×1 no Mineirão, em jogo que aconteceu neste domingo (3).

Fernandão foi a grande surpresa oferecida pelo técnico Roger Machado na escalação da partida, barrando Gilberto entre os 11 titulares, e deu resultado: marcou o quatro gol dele na competição. Ele segue como o vice-artilheiro do Bahia no ano, com 12 tentos marcados. O camisa 9, que ficou no banco durante toda a partida, tem 26 gols na temporada e lidera a contagem.

Após o final do jogo, Fernandão lamentou o empate, apesar de valorizar a qualidade do time do Cruzeiro, que classificou como difícil de enfrentar em Belo Horizonte. 

“Pelo jogo que a gente fez, merecia os três pontos. A gente vai levar um ponto, tem que dar valor. Jogar contra o Cruzeiro aqui é difícil. A gente merecia mais”, declarou o camisa 20. 

O Bahia chegou a quatro jogos sem vencer, embora tenha estancado a série de derrotas consecutivas. Desde o dia 16 de outubro, quando ganhou do Grêmio por 1×0 em Porto Alegre, o time de Roger Machado não sabe o que é somar três pontos. Foram três derrotas e este empate. 

Apesar do sabor amargo deixado pela circunstância da partida, o Bahia diminuiu a distância para a zona de classificação para a Libertadores de cinco para quatro pontos. Isso porque o Internacional perdeu o clássico para o Grêmio por 2×0, além de o Corinthians ter perdido para o Flamengo por 4×1, também neste domingo.

A propósito, o Athletico-PR venceu o CSA e entrou no G6, mas como o time paranaense já tem vaga garantida devido ao título da Copa do Brasil, pelo menos por enquanto a faixa continental se torna um G7. O atual sétimo colocado é o Inter, com 46 pontos.

O Bahia está com 42 pontos na tabela de classificação. O próximo desafio do tricolor é na quarta-feira (6), contra a Chapecoense, às 21h30, na Fonte Nova.

Mais incisivo no discurso, o lateral Nino Paraíba deu um ultimato após sair do campo do Mineirão: dentro de casa o Bahia não pode mais “dar mole”.

*Com supervisão do editor Herbem Gramacho.

Fonte: Correio