A ex-BBB e ex-peoa Ana Paula Renalt saiu em defesa da modelo Sabrina Paiva, que foi vítima de racismo em ‘A Fazenda’ por parte da produção do programa na noite da última terça-feira (05).

Nos stories do Instagram, Ana Paula, que participou do reality em 2018, fez um longo desabafo sobre a injustiça cometida contra a Miss São Paulo e afirmou que este não é o primeiro caso de racismo que acontece na atração da Record.

“Na minha edição teve caso clássico de racismo e a Record não passou. Me passaram como barraqueira, mas a Luane está aí para provar que não e está buscando seus direitos na Justiça”, denuncia.

A ex-participante ainda criticou os peões que estavam na sala com Sabrina, porém negaram ter escutado a ofensa à peoa “por causa da chuva”.

“Na sequência o (Marcos) Mion entra e ninguém fala nada. Vocês imagem isso? A gente não tem como pautar o que é sofrer racismo, como fica e tal… Mas tinham dez pessoas sentadas na sala e ninguém para falar nada! E teve gente que ficou ”é a chuva”, ”não escutei”. O povo está doente, a sociedade tá doente! Racismo é crime. Todo munto tem a obrigação de intervir. Que absurdo. Numa sociedade estruturalmente racista, todo mundo tem a obrigação de intervir”, defende.

Para finalizar do desabafo, Ana Paula levantou a hipótese do caso abalar o psicológico de Sabrina como jogadora da ‘A fazenda’.

“Mais uma vez será que a Record não vai falar nada? Se eu fosse parte da família da Sabrina iria lá agora! Se a menina tinha alguma condição de ganhar o proghrama, como está o psiclógioco dela agora? Basicamente sofreu racismo a vida interia e está dentro de um programa onde estaria, tecnicamente, protegida, porém sofreu racismo lá também? Está tudo muito errado!”, afirmou.

‘Senta logo aí, macaca’
Em comunicado, a emissora informou que o funcionário foi contratado pela produtora Teleimage, que presta serviço à rede de televisão.

“[A empresa] identificou o ofensor. Ele foi repreendido e teve seu contrato de trabalho rompido sumariamente”, diz a nota enviada à imprensa.

Na noite desta terça-feira, 5, enquanto os peões aguardavam o início da prova do fazendeiro, Sabrina disse ter ouvido alguém falar “senta logo aí, macaca” após ela se levantar do sofá. Outros participantes disseram ter ouvido o mesmo.

Ainda no comunicado oficial, a Record TV afirmou que “repudia veementemente esta atitude e qualquer tipo de preconceito”. Por se tratar de ofensa racial, Sabrina Paiva será informada sobre a consequência e ela terá o direito de fazer a representação legal ao ofensor, “se assim quiser e no momento que desejar”.

A assessoria jurídica da participante informou que vai notificar o Ministério Público de São Paulo a respeito da injúria racial “para que sejam adotadas todas as medidas judiciais cabíveis para a punição do autor da ofensa”.

Ao finalizar a nota, a Record TV e a produtora Teleimage disseram que “lamentam o fato e não admitem que algo dessa natureza aconteça em suas produções”.

Fonte: Correio