Policiais realizaram a reconstituição do ataque ao carro do deputado Soldado Prisco, que aconteceu no dia 15 de outubro. A reprodução começou na noite dessa terça-feira (7) e seguiu até a madrugada desta quarta-feira (8). 

O ataque aconteceu na Avenida Joana Angélica, em meio à greve de parte dos policiais militares da Bahia. No momento dos disparos, apenas dois assessores do deputados estavam no veículo, um Ford Ka cinza. 

Segundo o diretor do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, delegado José Bezerra, o objetivo é acabar com algumas dúvidas que surgiram ao longo da investigação. “Já adotamos uma série de medidas, entre as a oitivas das pessoas envolvidas, testemunhas, coletas e análise de imagens, tudo com o objetivo de esclarecer o caso”, afirmou.

O deputado e as outras pessoas que estavam no veículo no momento do ataque também participaram da simulação. De acordo com a SSP, foram utilizados  veículos semelhantes aos usados no dia e todo o trajeto até o local dos disparos foi feito  passo a passo, com o acompanhamento minucioso de peritos.

Também participaram da reconstuição equipes do DHPP, da Coordenação de Fiscalização de Produtos Controlados, Departamento de Polícia Técnica e Transalvador.

Relembre o caso
Fotos e vídeos nas redes sociais relatando um atentado ao deputado estadual Soldado Prisco, que faz parte da Aspra, e outros dois policiais tomaram conta das redes sociais desde a noite do dia 15 de outubro. Prisco estaria com outros policiais quando o carro foi alvejado, no bairro de Nazaré, no centro da cidade.

Nas imagens que circulam, é possível ver um carro com várias marcas de tiros. Em outro vídeo, Prisco aparece chorando. Ao CORREIO, a assessoria da Aspra informou que ninguém foi atingido pelos disparos. 

Fonte: Correio