Um homem, que se acredita ser de nacionalidade iraniana, foi detido nesta sexta-feira (10) polícia de Palm Beach, na Flórida, com várias facas e um martelo, além de cerca de U$ 22 mil dólares. A informação é de um oficial do departamento ao jornal Daily News.

Identificado pelo passaporte como Masoud Yareioeill Zoleh, cidadão iraniano, ele também tinha um carro estacionado no Aeroporto Internacional de Palm Beach, segundo o porta-voz da polícia, Michael Ogrodnick. Sem morada conhecida, ele foi detido na Flagler Memorial Bridge.

O departamento está trabalhando com outros parceiros federais na investigação, disse Ogrodnick. Ele informou que o departamento recebeu uma ligação por volta das 9h30 da manhã sobre Zoleh. Ele não quis dar detalhes sobre o que o interlocutor disse. O Daily News foi inicialmente informado pela polícia que Zoleh parecia estar sem-teto ou sem um endereço conhecido.

O caso continua a ser investigado pela polícia local.

A ponte onde foi o homem foi encontrado fica a uma distância de cerca de quatro milhas, seis quilómetros, de Mar-a-Lago, um dos resorts de Donald Trump na Flórida.

A propriedade é uma das preferidas do Presidente dos EUA, sendo conhecida por Casa Branca de Inverno. Aliás, foi de lá de Mar-a-Lago que Trump deu sinal verda ao ataque que matou o general iraniano Qassem Soleimani, na sexta-feira passada.

Um fotógrafo do Daily News foi ao local e viu o homem, que também tinha equipamento de camping, ser preso por três policiais de Palm Beach e dois policiais à paisana, que lhe disseram que eram de outro departamento. Esta é apenas uma de uma série de prisões incomuns na ilha nos últimos meses.

Na segunda-feira à noite, uma pessoa foi presa em Mar-a-Lago pelo serviço secreto, com a assistência da Polícia de Palm Beach e do Gabinete do Xerife de Palm Beach. Um relatório policial revelou apenas que a prisão havia sido feita e um veículo de passageiros foi rebocado. Uma porta-voz do serviço disse que o departamento não comenta investigações ativas. Em dezembro, Jing Lu, 56, foi confrontada pelos agentes de segurança do clube privado e recebeu ordens para sair, mas ela voltou para tirar fotos, disseram as autoridades.

Em abril, Yujing Zhang, 33 anos, despertou preocupações com a segurança ao tentar entrar no Mar-a-Lago enquanto carregava quatro celulares, um computador, dois passaportes chineses, um disco rígido externo e um pen drive. Zhang foi condenado a oito meses de prisão por um juiz federal da Flórida e ordenado a ser deportado para a China

Fonte: Correio