Um homem morreu e outras sete pessoas ficaram feridas após um carro particular colidir no fundo de uma viatura da Polícia Militar. O acidente ocorreu no sentido Centro, próximo à entrada do bairro de Narandiba, por volta de 1h da madrugada deste sábado (11), na Avenida Paralela, em Salvador.

Segundo o Núcleo de Operação Assistida (NOA) da Superintendência de Trânsito do Salvador (Transalvador), o motorista do carro particular, um Ford Fusion, identificado como Ismael Pinho Tosta Neto, morreu no local. O corpo ainda permanece no IML.

Outras três pessoas estavam a bordo do Fusion envolvido no acidente. Elas foram indetificadas como Valdomiro Ferreira Filho, de 63 anos, Maxwell Nascimento Chaves, 26, e André Luiz Santana, 51. Os dois primeiros se escontrão no setor de sutura, enquanto André Luiz está no centro cirúrgico. Após o acidente, todos receberam atendimento no local por equipes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e equipes do Salvar, do Corpo de Bombeiros.

Os quatro policiais militares que estavam na viatura também se feriram no acidente. Não há informações sobre o estado de saúde dos sobreviventes.

O impacto do acidente fez com que a viatura capotasse na pista. O outro veículo teve a frente completamente destruída.

Em nota, a Polícia Militar informou que, segundo informações de testemunhas, uma equipe do Esquadrão de Motociclistas Águia fazia uma abordagem a um veículo suspeito, quando foram surpreendidos por outro carro em alta velocidade, com quatro ocupantes. Esse carro acabou se chocando com a viatura, atingindo três policiais militares, além dos ocupantes do próprio carro que causou o acidente.

Todas as vítimas foram socorridas pelo Samu e encaminhadas a hospitais da cidade, com exceção do motorista do Fusion, que morreu no local. Segundo a PM, os policiais teriam dado apoio ao socorro e isolaram o local até a chegada da perícia.

A PM afirmou, ainda, que acompanha os militares que ficaram feridos. Dos três, dois estão internados e um já foi liberado. Eles não divulgaramo estado de saúde dos demais envolvidos.

Todos os fatos foram registrados na Corregedoria da Polícia Militar, na Transalvador e na Polícia Civil.

Fonte: Correio