A travessia Salvador-Mar Grande foi suspensa às 11h desta quarta-feira (22)  por conta do mau tempo, com ventos fortes e mar agitado na Baía de Todos os Santos. Diante da situação, a navegação foi considerada adversa e a Associação dos Transportadores Marítimos da Bahia (Astramab) seguiu recomendação da Capitania dos Portos e resolveu suspender a operação.

Já  travessia Salvador-Morro de São Paulo vai fazer seus dois últimos horários com conexão em Itaparica, também por conta do mau tempo. A travessia fez normalmente os horários das 8h30, 9h e 10h30..

Com conexão, os passageiros embarcam normalmente no Terminal Náutico e seguem nos catamarãs até Itaparica, de onde serão conduzidos em ônibus até a Ponta do Curral, em Valença, e fazem a pequena travessia até o Morro em lanchas rápidas.

Com conexão, o tempo da viagem entre a capital e o Morro de São Paulo fica em 3h e 20m ium uma hora a mais que em relação ao percurso direto.

Ciclone
A Marinha do Brasil emitiu um alerta sobre a possível formação de um ciclone a partir da quinta (23). Com formação inicial entre o Rio de Janeiro e Espírito Santo, o fenômeno deve afetar as condições de tempo e do mar da Bahia até Santa Catarina. 

São esperados ventos com direção de Nordeste a Norte que podem chegar a até 87 km/h em alto-mar na região de Caravelas, na Bahia, do dia 23 até o dia 25. Também são esperados ventos de Nordeste a Norte de até 61 km/h em alto-mar entre Caravelas e Ilhéus no mesmo período.

“A formação do ciclone está associada ao estabelecimento de uma zona de convergência sobre uma região em que a temperatura da superfície do mar está sendo observada entre 26ºC e 27ºC”, diz o texto.

A previsão é de que o ciclone se forme com possíveis características subtropicais. Caso a intensidade dos ventos chegue ou ultrapasse 63 km/h, o fenômeno passa a ser considerado uma tempestade subtropical Kurumi, expressão em tupi-guarani que significa “menino”. 

Os ventos fortes podem gerar agitação marítima criando ondas de 3 a 4 metros de altura entre Arraial do Cabo, no Rio, e Caravelas, até o dia 25.

O aprofundamento do ciclone pode aumentar a umidade na região, causando mais chuvas no litoral do Espírito Santo até o do Sul da Bahia. 

As informações da Marinha do Brasil foram coletadas por meio do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM) e em colaboração com o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE) e o Centro Integrado de Meteorologia Aeronáutica da Força Aérea Brasileira (CIMAER/FAB).
 

Fonte: Correio