O goleiro Ronaldo foi protagonista no primeiro Ba-Vi do ano, disputado sábado (8), na Fonte Nova. O arqueiro rubro-negro teve atuação espetacular, garantiu o triunfo por 2×0 ao Vitória e foi fundamental para o Leão quebrar o tabu de 12 jogos sem vencer o rival. Ele distribuiu sorrisos após o apito final e vai fortalecido para a estreia do Leão na Copa do Brasil, contra o Imperatriz, terça-feira (11), às 21h30, na cidade maranhense de mesmo nome.  A seguir, entrevistamos ele.

O que você achou da sua atuação no clássico?
Graças a Deus pude fazer grandes defesas e ajudar a equipe. Nós buscamos os três pontos e isso ajuda na classificação da Copa do Nordeste. Vamos comemorar hoje (sábado) e depois já pensar no jogo de terça-feira, que é muito importante para o nosso segmento no ano.

Por que você cresce tanto em Ba-Vi? Já havia feito um grande clássico em 2019 e neste foi ainda melhor.
O Ba-Vi tem sempre um peso maior para o atleta, o clássico sempre mexe com todo mundo e eu só tenho a agradecer a Deus por ter me destacado nesses Ba-Vis.

Qual defesa você destaca entre as que fez no jogo?
Eu acho que a do Élber, no segundo tempo. Peguei um chute de bate-pronto muito difícil, tinha muita gente na minha frente e eu pude fazer uma grande defesa.

O que foi fundamental para o Vitória conseguir vencer o clássico?
A vontade da gente foi fundamental. Isso mostra que o time está focado. Viemos com o intuito de ganhar a partida. O pensamento de todos foi um só, jogar bem para ganhar. Com esses três pontos, quebramos um tabu e isso foi muito importante pra gente.

Num momento em que o clube perdeu o goleiro Martín lesionado e sinalizou que vai contratar outro, de que forma a sua atuação no Ba-Vi te fortalece na Toca do Leão?
Eu estou trabalhando bastante, calado, esperando minha oportunidade. Sobre essa questão de contratar goleiro, deixo para o presidente, a diretoria. O importante é eu estar podendo desempenhar o meu papel e ajudar o clube.

No ano passado você também foi muito bem no Ba-Vi, mas depois acabou perdendo a posição. Tem medo que isso aconteça novamente?
Não. Eu venho trabalhando calado para isso. Infelizmente muitas vezes não sou eu que escalo o time, então deixo para treinador, comissão, diretoria, que eles tentem fazer o melhor, até porque eles pensam bastante no clube. Eu trabalho bastante para receber minha oportunidade e ir bem.

Você participou dos três primeiros jogos da Copa do Nordeste contra times que disputam a Série A. O Vitória não perdeu nenhum (empatou com Fortaleza e Sport antes de vencer o Bahia). Como o grupo fica após esses três desafios?
Fortalecido. Sem empolgação, até porque quando você se empolga acaba perdendo o rumo de todo trabalho, mas a gente fica muito feliz, porque é um grupo de jogadores novos, estamos nos encaixando ainda e a tendência é que a gente comece a crescer mais ainda.  

Geninho falou alguma coisa com você após o clássico?
Me parabenizou, assim como parabenizou todos os outros atletas, o que é muito importante pra gente.  

Como você projeta o jogo contra o Imperatriz, terça, pela Copa do Brasil?
A gente comemora hoje (sábado), mas depois já tem que descansar, já tem uma viagem pesada para Imperatriz (onde o time estreia amanhã na Copa do Brasil). Quando chegar lá, se Deus quiser, vamos conseguir o resultado e classificar para a próxima fase, o que é muito importante. É um jogo perigoso, nós já vimos vários exemplos na semana passada, então a gente tem que entrar ligado, até porque não tem nenhum time besta.

Fonte: Correio