De um lado, a comunidade do Sangradouro é rodeada por uma vasta mata. Do outro, o bairro Capivara, é cortado por um mangue. Ambas as localidades pertencem ao município de Arembepe, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), e sofrem com o mesmo problema: o tráfico de drogas na região. De acordo com moradores, a guerra de facções tem causado medo e eles já temem continuar vivendo no local. 

O CORREIO esteve nas duas comunidades na manhã desta terça-feira (11), um dia após a Polícia Militar realizar uma operação no local depois depois de criminosos assassinarem a tiros um adolescente de 16 anos. No confronto contra a PM, quatro bandidos acabaram mortos e outros oito conseguiram fugir pela BA-099, conhecida como Estrada do Coco.

Os baleados ainda chegaram a ser socorridos para o Hospital Geral Menandro de Farias, em Lauro de Freitas, mas não resistiram aos ferimentos. Os quatro ainda seguiam sem identificação no Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLRN) até a publicação desta reportagem.

A reportagem apurou que um dos criminosos mortos pela PM é um indivíduo conhecido como Neném, apontado como líder da facção criminosa Comando da Paz (CP) na região. Um vídeo que circula nas redes sociais, e que o CORREIO teve acesso, mostra três homens armados, supostamente narrando a morte do adolescente para um líder a quem chamam de ‘Coroa’. Os criminosos se identificam como membros da facção Bonde do Maluco (BDM).

(Foto: Eduardo Dias/CORREIO)

No entanto, à reportagem, o comandante da 59ª Companhia Independente da PM (CIPM/Vila de Abrantes), tenente coronel Edimilton Reis, não confirmou se um dos criminosos mortos é mesmo Neném. Segundo ele, Neném é um traficante conhecido na região e os policiais teriam facilmente o identificado, caso estivesse entre os envolvidos. 

“Não temos como confirmar, ainda, a informação sobre o traficante Neném, mas, como a maioria dos policiais da companhia o conhecem, teríamos identificado de imediato. Ninguém que participou da operação relatou nada sobre ele. Ele é bastante conhecido, se estivesse no meio deles, nós saberíamos. Vamos aguardar o Departamento de Polícia Técnica (DPT) identificar os corpos”, explicou o comandante, que destacou o trabalho conjunto das equipes da PM com a comunidade, que foi responsável por acionar os policiais sobre a movimentação suspeita do grupo de criminosos. 

“A comunidade nos avisou sobre um grupo armado na região e nós mandamos o Serviço de Inteligência, com a utilização de um drone, apurar. Em seguida, contatamos a equipe da Peto para intensificar as incursões na área, para dar tranquilidade às pessoas. Temos um trabalho de proximidade grande com a população de Arembepe. Não podemos afirmar a quantidade, mas era um grupo grande e ao perceberem a aproximação dos policiais, eles reagiram com muitos tiros. Alguns fugiram, outros foram interceptados. Graças a Deus não houve nenhum policial ferido”, disse.

Insegurança 
Embora no local o policiamento tenha sido reforçado, com a presença de viaturas realizando rondas nas ruas do bairro, os moradores relataram um clima de insegurança desde segunda-feira nas duas comunidades. Sem se identificar, um morador revelou ao CORREIO que, por conta de no município haver aldeias hippies, os criminosos começaram a se instalarem nelas e intensificaram o tráfico de drogas.

“Aqui tem muita gente boa, muita mesmo. Mas de uns tempos para cá, muitos criminosos se camuflaram nas aldeias hippies e trouxeram o tráfico de drogas para cá. O tráfico tomou conta do Sangradouro, as pessoas vivem com medo. É uma disputa entre eles por espaços, essa facções estão tomando conta de Arembepe. Mataram esse rapaz e desovaram por aí e ainda fizeram vídeo se vangloriando. Que mundo é esse que vivemos?”, questionou o morador. 

O rapaz que o morador cita foi encontrado morto na manhã de segunda-feira. No entanto, segundo o comandante Edimilton, a morte teria sido na noite do domingo (9), mas a relação entre os casos ainda está sendo apurada. 

“Sobre o adolescente, os criminosos mataram ele no domingo a noite e achamos o corpo na segunda pela manhã. Não temos ainda como afirmar a relação do aparecimento do corpo com os criminosos que trocaram tiro com os policiais. Mas, por experiência, tudo indica que estejam relacionados. O caso foi passado para a Polícia Civil investigar. E a Corregedoria vai apurar a morte dos resistentes à prisão”, completou o comandante.

Um outro morador compartilhou uma mensagem pelo Whatsapp onde alega que teve a casa invadida pelos criminosos durante a fuga da polícia. Por sorte, ele não estava em casa.

“Hoje enquanto eu trabalhava minha casa foi invadida por meliantes fortemente armados, os quais foram cercados pela PM e foram alvejados e mortos. Graças a Deus não estava em casa, mas foram 6 CPFs dado baixa nesta ação, que dou os parabéns ao nossos nobres policiais que cumpriram seu papel com honra à farda que eles vestem”, disse o morador na mensagem.

Relembre o caso
Após matarem a tiros um adolescente de 16 anos, na localidade do Sangradouro, em Arembepe, pelo menos 12 bandidos trocaram tiros com policiais militares e quatro acabaram mortos. Os criminosos foram socorridos para o Hospital Geral Menandro de Farias, em Lauro de Freitas, mas não resistiram aos ferimentos e morreram horas depois.

De acordo com informações da Polícia Militar, equipes da 59ª Companhia Independente de PM (CIPM/Vila de Abrantes) foram acionadas pelo Centro Integrado de Comunicação (Cicom) da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) por volta das 10h de segunda-feira (10), com a informação de um homicídio no local. Os PMs encontraram o corpo do adolescente, vítima de disparos de arma de fogo. O Departamento de Polícia Técnica foi acionado e o caso encaminhado para investigação da Polícia Civil. 

No entanto, ainda na segunda-feira, no período da tarde, por volta das 15h30, equipes do Pelotão de Emprego Tático Operacional (Peto) da 59ª CIPM e da Rondesp/Região Metropolitana de Salvador realizaram uma operação conjunta na região na busca por uma quadrilha que ostentava armas de fogo na mesma localidade do Sangradouro. 

A PM utilizou um drone para identificar o grupo armado. Ao se aproximarem dos bandidos, foram recebidos a tiros. No revide, já em confronto, ainda de acordo com a versão policial, alguns dos criminosos conseguiram fugir pela BA-099 e se esconderam num condomínio residencial, onde houve novamente troca de tiros. Dois homens foram encontrados feridos e socorridos para o Hospital Menandro de Farias, mas não resistiram e morreram.

Em seguida, os PMs identificaram o restante dos criminosos escondidos em um conjunto de casas e houve outra troca de tiros – outros dois suspeitos foram atingidos. Ambos também foram socorridos para a mesma unidade hospitalar, onde os óbitos foram atestados pela equipe médica.

O CORREIO esteve no Hospital Menandro de Farias, e verificou que os quatro homens deram entrada na unidade sem identificação. Todos os corpos foram encaminhados para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IMLNR), em Salvador.

A reportagem apurou ainda que entre os mortos estava um dos lideres do tráfico na região, conhecido como Nenem, ligado a facção Comando da Paz (CP). Procurada, a SSP não confirmou a identidade dos criminosos.

A PM informou ainda que durante a operação foram apreendidas quatro armas de fogo (três revólveres e uma pistola), munições de diversos calibres, um carregador com capacidade para quinze cartuchos, além de uma corrente e um relógio. O fato foi registrado na Corregedoria Geral da PMBA.

*Com supervisão do chefe de reportagem Jorge Gauthier

Fonte: Correio