Blocos afros, afoxés, grupos e blocos de capoeira, reggae, hip hop e grupos indígenas receberam nesta quinta-feira (13) a confirmação de que poderão contar com o apoio da Prefeitura de Salvador para conseguir desfilar no Carnaval de 2020. O anúncio aconteceu na tarde desta quinta-feira (13) na Fundação Gregório de Matos (FGM).

Ao todo, serão 110 entidades abarcadas pelo apoio municipal, dado através da Secretaria Municipal de Reparação (Semur). O valor total investido pela prefeitura não foi divulgado. 

“Ainda estamos fechando o valor, vendo os limites e o que pode ser destinado a cada grupo. O que podemos garantir é que o que for preciso fazer para que essas 110 entidades desfilem, nós vamos fazer”, explicou o prefeito ACM Neto, em entrevista após o anúncio para as entidades. 

Presentes no evento, além do gestor municipal, o vice-prefeito Bruno Reis, a secretária municipal de reparação, Ivete Sacramento, o secretário municipal de cultura e turismo, Cláudio Tinoco, além de representantes de grupos conhecidos como o Ilê Aye, Olodum e os Filhos de Gandhi.

“Além das entidades já conhecidas, estamos anunciando esse apoio a grupos diversos, muitos deles que não tem qualquer outro tipo de apoio e que dependem dessa ajuda pra poder desfilar. São entidades que representam a nossa cultura, as nossas tradições, e que são fundamentais para a realização do Carnaval”, avaliou Neto.

Titular da Semur, uma das pastas responsáveis pelo apoio, a secretária Ivete Sacramento comemorou a possibilidade do apoio. “Vivemos nessa resistência pela manutenção da nossa cultura negra em todas as suas formas na cidade. O mundo mudou, o Carnaval de Salvador mudou e nós estamos diante de pessoas, de grupos, que fazem parte da história do carnaval de Salvador. Mesmo sem ter um planejamento prévio, o nosso prefeito, sensível a essa lacuna de resgate histórico na nossa cidade, garante esse apoio às vésperas do Carnaval. Fico feliz por ter a garantia de que a nossa cultura negra não vai morrer em 2020 e que nossos blocos sairão para a rua com dignidade”, comemorou.

“Essa é mais uma sinalização da prefeitura da atenção com a diversidade, com a pluralidade da festa, mas sobretudo com a nossa essência que é dos blocos afros, das entidades de matriz africana”, completou o secretário de Cultura e Turismo, Cláudio Tinoco. 

Na plateia do auditório da FGM, representantes das entidades apoiadas comemoravam o incentivo. O cantor e compositor Tonho Matéria, por exemplo, que é gestor do Bloco da Capoeira, elogiou: “É uma alegria imensa, entidades com muitos anos de história, e precisamos de uma gestão que realmente olhe pra gente e nos veja como parceiros, como quem de fato vende o Carnaval, a estética, o colorido, o brilho e o luxo para o mundo. Agora a gente vai poder fazer um belo Carnaval”. 

O CORREIO Folia tem o patrocínio do Hapvida, Sotero Ambiental e apoio do Salvador Bahia Airports e Claro.

*Com orientação do chefe de reportagem Jorge Gauthier 

Fonte: Correio