"Jamais vou cercear o direito de ir e vir dos brasileiros", afirma Bolsonaro

Durante o anúncio do novo ministro da Saúde nesta quinta-feira (16), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) jogou uma indireta aos governadores e prefeitos que têm imposto medidas rígidas de distanciamento social por conta da pandemia do novo coronavírus. 

“Eu jamais mandaria minhas Forças Armadas prender quem quer que seja que estivesse nas ruas. Como chefe do Executivo, jamais vou retirar o direito constitucional de ir e vir seja qual for do cidadão brasileiro. Devemos tomar medidas, sim, para evitar a proliferação ou expansão do vírus, mas pelo convencimento e com medidas que não atinjam a liberdade e garantias fundamentais de qualquer pessoa. O excesso não leva à solução do problema, muito pelo contrário, ele vai se agravar, como venho dizendo faz muito tempo”, afirmou o presidente.

Agradecimentos

Apesar de ter demitido Mandetta, Bolsonaro fez questão de agradecer ao ex-ministro da Saúde e dar as boas-vindas a Nelson Teich, o substituto.

“Queria agradecer o senhor Henrique Mandetta pela sua cordialidade, pela forma como conduziu o ministério. E também agradeço ao doutor Nelson por ter aceito esse convite. Ele sabe do enorme desafio que terá pela frente, mas já começa hoje mesmo uma transição, que gradualmente vai servir para redirecionar o posicionamento”, disse Bolsonaro.

Fonte: Agencia Brasil