Em São Paulo, mortes pelo novo coronavírus triplicaram em 15 dias

Dados da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, divulgados hoje (21), mostram que chegou a 1.093 o número de mortes causadas por coronavírus, registradas até esta terça-feira, desde quando foi diagnosticado o primeiro caso no Estado, em fevereiro. Em 7 de abril, há 15 dias, o acumulado era 371 óbitos, ou seja, três vezes menos.

De acordo com o governo estadual, os mortos são 642 homens e 451 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais (77,8% dos casos).

Os dados mostram ainda que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (284 casos), seguida por 60-69 anos (243) e 80-99 (234). Também morreram 90 pessoas com mais de 90 anos. Há também alta mortalidade entre pessoas de 50 a 59 anos (130 do total), seguida pelas faixas de 40 a 49 anos (65), 30 a 39 (36), 20 a 29 (8) e 10 a 19 anos (3).

No Estado, os principais fatores associados à mortalidade são cardiopatia (61,5% dos óbitos), diabetes (42,9%), pneumopatia (14,2%), doença neurológica (11,7%) e doença renal (10,8%).

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, em 97 cidades de São Paulo foi registrado, pelo menos, uma morte causada pela Covid-19. Esse número era de 41 municípios há 15 dias.

Até hoje, foram registrados 15.385 casos confirmados da doença no estado, em 239 cidades paulistas. No dia 7 de abril, eram 5.682 casos, em 121 municípios.

Fonte: Agencia Brasil