Produtores de algodão doam equipamentos e dinheiro para conter avanço da Covid-19

A disseminação do novo coronavírus alterou radicalmente as relações humanas em todo o planeta, interferindo na vida de quem reside em grandes centros urbanos e também de quem está no interior. A ameaça diante da pandemia – que trouxe com ela a maior crise global dos últimos 100 anos -, despertou o sentimento de cooperação entre os brasileiros, envolvendo inclusive empresas e entidades, que vêm se mobilizando para combater o avanço da doença.

Os produtores rurais, unidos através da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), direcionaram seus esforços e lançaram várias iniciativas, como a doação, em 13 de abril, de 6 mil toalhas de algodão, distribuídas pelo Governo do Estado às unidades de saúde para o enfrentamento ao coronavírus.

O vice-governador João Leão, secretário de Desenvolvimento Econômico, recebe doações de representantes da Abapa

No mesmo dia, foram doados à prefeitura de Luís Eduardo Magalhães materiais como lençol, luvas e máscaras descartáveis, óculos de proteção, álcool em gel e sabonete líquido. A entrega aconteceu no hospital que atende os casos de coronovírus e contou com as presenças do prefeito Oziel Oliveira e da diretora da Abapa, Alessandra Zanotto.

“Em nome da população do nosso município, agradeço a doação destes materiais, fundamentais nos atendimentos. O apoio dos produtores e de todo o setor agrícola tem sido fundamental neste momento de crise, quando os empresários e a população se mostram solidários”, afirmou o prefeito de Luís Eduardo Magalhães. Para Alessandra Zanotto, “nem tudo o que fizermos talvez seja suficiente para combater ou diminuir o problema. Mas cada doação e ato de solidariedade são válidos nesse momento”.

Outros R$ 500 mil já tinham sido destinados pelos produtores rurais, por meio da Abapa, para a compras de insumos e equipamentos de proteção individual para que os profissionais de saúde possam atender os pacientes de outros municípios. “As doações foram feitas às secretarias de saúde dos municípios ligados à atividade agrícola no Oeste da Bahia, a exemplo de Baianópolis, Barreiras, Correntina, Cocos, Jaborandi, Formosa do Rio Preto, Luís Eduardo Magalhães, Riachão das Neves, São Desidério e Wanderley”, afirma o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato.

Durante o ato de entrega do material, a prefeita de Wanderley, Fernanda Sá Teles, agradeceu aos agricultores que tem um olhar sensibilizado para as grandes causas que movem o País e os pequenos municípios.  “Em nome do povo de Wanderley, meu muito obrigado aos produtores de algodão e à Abapa por esta iniciativa tão linda para todos nós”. O prefeito de Cocos, Marcelo Emerenciano, também agradeceu pelo ato solidário. “Gostaria de externar a minha gratidão a todos vocês da Abapa que estão de parabéns por este gesto de solidariedade e amor ao próximo”, afirma.

Representantes da Abapa entregam 300 toalhas de algodão ao Hospital Santo Antônio

Laboratório
Mais uma ação da Abapa que está fazendo a diferença no combate à Covid-19 é resultado de um investimento de R$ 370 mil na aquisição de equipamentos e insumos para possibilitar que testes para diagnóstico da doença possam ser realizados no laboratório da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), em Barreiras. Com o aporte de recursos, poderão ser feitas até 3 mil testagens, apoiando, emergencialmente, as secretarias de saúde da região para agilizar as respostas sobre casos suspeitos.

“Desde que foi declarada a pandemia, a universidade instituiu um grupo para o enfrentamento da Covid-19, e alguns especialistas se disponibilizaram a oferecer o conhecimento e a estrutura dos nossos laboratórios para colaborar com os diagnósticos. Com o diálogo e apoio da Abapa e Prefeitura de Barreiras, conseguimos firmar um convênio para colaborar com a sociedade neste momento em que é necessária a união de todos os setores, cada um fazendo a sua parte, para vencer a pandemia”, afirma o reitor da UFOB, Jacques Miranda.

Segundo ele, o investimento da Abapa foi fundamental para o funcionamento da estrutura pela universidade que, além de reduzir o tempo entre a coleta da amostra e a divulgação do diagnóstico, diminuiu a demanda do Laboratório Central, em Salvador, que concentra a realização dos exames na Bahia.

“É uma ajuda oportuna, que vem reforçar o trabalho que o Governo da Bahia vem fazendo para conter a pandemia”, avalia o vice-governador João Leão, secretário de Desenvolvimento Econômico.

“Esta é uma ação que fortalece o combate ao novo coronavírus na Bahia, melhorando o atendimento aos pacientes nos hospitais e unidades de saúde e potencializando a realização de testes para diagnóstico da Covid-19 na região Oeste. Agradecemos a todos os produtores rurais da Abapa por esta valiosa contribuição”, ressaltou o secretário estadual do Planejamento, Walter Pinheiro. Depois de passada a pandemia, o laboratório será utilizado pela UFOB para a identificação e testes de enfermidades como Dengue, Chicungunya e Zika.

Para o presidente da Abapa, estas iniciativas demonstram o compromisso dos produtores rurais diante da pandemia:

“Este é o momento de dificuldade nunca visto, que trará impactos sociais e econômicos. Independente de tudo, é importante que estejamos unidos para vencer este vírus. Os produtores, como sempre, quando são chamados pela sociedade, estão prontos para contribuir. Neste momento, não seria diferente”.

O Estúdio Correio produz conteúdo sob medida para marcas, em diferentes plataformas.

Fonte: Correio