Barreiras impedirão acesso de passageiros sem máscaras nas estações de transbordo

Barreiras são instaladas nas estações de transbordo  (Foto: Bruno Wendel/CORREEIO) 

Quem acreditava que ia ser possível burlar a fiscalização do uso das máscaras nas estações de transbordo de Salvador, esqueça. A prefeitura iniciou nesta quinta-feira (23) a instalação de barreiras que vão ajudar no controle de acesso às estaçôes da Lapa, Pirajá, Mussurunga e Acesso Norte. A partir da segunda (27), só poderão ingressar nos ônibus e metrôs nestes locais os passageiros que estiverem usando o equipamento de proteção facial. A medida visa coibir o avanço da covid-19. 

“Não será permitido de forma alguma o acesso às plataformas sem as máscaras. Para isso, fiscais estarão ao lado das barreiras que darão acesso aos passageiros aos ônibus e metrô. Por exemplo, todas as pessoas que vêm da Piedade e da Avenida Joana Angélica para a Lapa, quando desceram as escadas, darão de frente com as barreiras e passarão pela vistoria”, declarou o diretor de Segurança Urbana da Guarda Civil Municipal (GCM) Maurício Lima, na manhã desta quinta, na Estação da Lapa. 

Além da Estação da Lapa, as barreiras também já foram instaladas na Estação Pirajá. Nesta tarde, os equipamentos serão montados nas estações do Acesso Norte e Mussurunga. “Nossas equipes vão instalar as sinalizações para que na segunda-feira (27) possamos atuar com rigor na fiscalização”, afirmou Maurício. 

Guardas municipais e agentes da Secretaria Municipal da Mobilidade (Semob) estavam nesta quinta (23) na Lapa fiscalizado o uso das máscaras. é que a partir desta data,  como determina um decreto municipal, o uso do equipamento de proteção facial é obrigatório para quem vai andar de ônibus ou dirigir carros particulares com mais de um ocupante. A medida exige ainda o uso do material nos ambientes de trabalho. Por enquanto, até domingo (26), a fiscalização é educativa, sem multa para quem desrespeitar a regra.

Passageiros usam máscaras enquanto aguardam o ônibus na Estação da Lapa (Foto: Bruno Wendel/CORREIO)

“Hoje encontramos pouquíssima pessoas sem as máscaras. Um percentual de 5%. É um sinal de que as pessoas estão compreendendo a importância de se protegerem e de proteger os outros também. As pessoas que encontramos sem as máscaras alegaram que não tinham em casa, que esqueceram ou que não tinham dinheiro para comprar o equipamento”, disse Maurício.

As fiscalizações de forma educativa estão sendo realizadas pela manhã, nos horários de pico, entre 6h e 9h, nas estações de transbordo e nos principais corredores de tráfego de Salvador, como São Cristóvão, Avenida Silveira Martins, Paralela, Pituba e Avenida Suburbana. 

Ao CORREIO, o titular da Semob, Fábio Mota, informou que, na segunda-feira (27), medidas mais duras já serão tomadas para quem desobedecer o decreto. “Vamos fazer, antes, ações educativas, com distribuição de informativos explicando a importância da máscara. Depois disso, a partir de segunda, haverá fiscalização e, quem estiver nos transportes sem máscara será convidado a se retirar. Se for necessário, usaremos apoio da Guarda Municipal para que a pessoa seja retirada de forma coercitiva”.

O secretário acrescentou ainda a campanha de conscientização, além das estações, também estará presente em 80 pontos de ônibus da capital considerados como de grande movimento.

Para auxiliar nesse processo, a Secretaria de Mobilidade enviou aos rodoviários uma cópia do decreto, orientando que motoristas e cobradores vetem a entrada dos passageiros sem proteção nos coletivos.

“Já pedimos aos rodoviários que impeçam esses passageiros de subir ao ônibus, mas sabemos que não é uma coisa fácil conscientizar todo mundo. Então, para tentar tornar o processo ainda mais fácil, distribuiremos cerca de 2 mil máscaras por dia aos passageiros”, completou Mota, ao acrescentar que as barreiras permanecerão nas estações até o término do decreto.

Dor
Motorista do Consórcio Integra, Cláudio Moreira, 42 anos, iniciou sua jornada de trabalho às 5h40 e, às 11h25, quando entrevistado pelo CORREIO, disse que, antes de chegar à estação, apenas duas pessoas tentaram entrar no coletivo sem as máscaras.

“Falei para elas a importância do uso das máscaras. Uma entendeu, disse que havia esquecido, tirou a máscara da bolsa, colocou e subiu. A outra passageira me ignorou, desceu os degraus e foi embora”, disse ele, que fazia uso da proteção facial, juntamente com o cobrador, quando desembarcavam passageiros na Lapa. Em seguida, o ônibus seguiu o destino para a Boca do Rio, com todas as pessoas a bordo – um total de 10 – usando máscaras. 

Entre os passageiros que circulavam na estação estava o comerciário Marcelo Silva Santos, 35. De máscara preta, ele disse que aprendeu a importância do equipamento com a dor. Há duas semanas, um amigo dele, morador de São Caetano, morreu vítima da covid-19. “Antes, achava que tudo isso era um exagero, que era besteira usar máscaras. Da forma mais dolorida aprendi que a pandemia deve ser levada a sério. Perdi um grande amigo para essa doença”, declarou ele. 

Marcelo se conscientizou do uso da máscara após morte de amigo pela Covid-19 (Foto: Bruno Wendel/CORREIO)

Vendendo sombrinhas, e usando máscara, o ambulante Patrick Ferreira, 45, disse que sempre que pode alerta as pessoas que estão sem a proteção. “Hoje só vi uma pessoa sem a máscara e foi justamente ela veio comprar comigo”, relatou. 

Dique
Ainda na manhã desta quinta, estava marcada uma blitz da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) no intuito de fiscalizar o uso das máscaras no trânsito. Por conta chuva, a prefeitura resolveu adiar a fiscalização para sexta (24), às 9h30. 

As abordagens acontecerão na região do Dique do Tororó – na altura do posto de gasolina que fica no sentido Estação da Lapa, depois da Superintendência de Obras Públicas (Sucop). Será uma ação de caráter educativo, e não punitivo.

Fonte: Correio